Fadinha do Brasil dá dicas para Rafa Kalimann melhorar como apresentadora: “Parece perdida”

Casa Kalimann, novo programa do Globoplay, foi criticado e comparado a atração infantil trash

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Casa Kalimann, novo programa do Globoplay, mal estreou e já é um dos mais comentados das redes sociais. A repercussão, entretanto, é negativa, com críticas ao formato, ao cenário e, principalmente, à desenvoltura de Rafa Kalimann como apresentadora. Para salvar a atração, a coluna chamou uma famosa acostumada a “cancelamentos” e que voltou aos holofotes sendo comparada justamente à ex-BBB: Fadinha do Brasil.

Em 2013, surgiu na TV brasileira um novo programa infantil, cheio de crianças no estúdio e comandado por uma ex-musa loira. Parece a história de Xuxa Meneghel, mas a “rainha dos baixinhos” em questão é Suelem Aline Mendes Silva, a Fadinha do Brasil. Famosa como Mulher Pera, a então funkeira precisou abandonar a sensualidade e se aventurou na nova carreira, mas fracassou. A atração independente durou menos de um mês na RedeTV! após uma coleção de críticas semelhantes às que Casa Kalimann sofre atualmente.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A ex-funkeira e ex-apresentadora infantil mudou de vida: assina como Suélem Cury, mesmo nome de sua grife de cristais. Bem-sucedida como empresária (em breve irá inaugurar sua loja na zona oeste de São Paulo), ela admite que a Fadinha do Brasil era realmente ruim e explica por que o programa não foi para a frente. A loira diz ter perdido mais de R$ 100 mil com sua tentativa de suceder Xuxa.

“Eu estava fazendo muitos shows pelo Brasil todo como Mulher Pera e tive que parar com a personagem. Foi a pior fase da minha vida, porque precisei interromper minha carreira para entrar em outra com o público infantil, completamente diferente do masculino. Foi bem complicado. Perdi dinheiro, investi mais de R$ 100 mil. Na época tive que vender um apartamento de R$ 350 mil que estava alugado. Não sabia que tudo iria sair do meu bolso. Fizeram uma produção que todo mundo acompanhou: as crianças estavam para baixo, o fundo era de chroma key [fundo verde para inclusão de cenário virtual]. O programa foi péssimo, mas tinha contrato com a produtora e não pude voltar atrás”, relembra Suélem.

Fadinha do Brasil é relembrado até hoje como um programa trash, porém apenas quatro edições foram exibidas. “Gravamos o quinto em um sítio, mas não deixei ir ao ar porque tinha gastado muito dinheiro com produção e já estava achando desnecessário. A internet caiu em peso falando mal, então preferi parar. Jogaram na internet o piloto, praticamente sem edição, com qualidade baixa, estava horrível. Obviamente a galera iria falar mal porque realmente estava ruim”, reconhece a empresária.

Oito anos depois, Suélem encara com bom humor as piadas sobre sua empreitada com o público infantil e a comparação com Casa Kalimann. O canal Diva Depressão, um dos mais famosos e debochados do YouTube (3 milhões de inscritos), foi um dos que chamaram Rafa Kalimann de “nova Fadinha do Brasil”. Até Karol Conká, vilã do BBB 21, alfinetou a nova aposta do Globoplay. A pedido da coluna, a empresária assistiu a alguns vídeos do programa e avaliou o desempenho da ex-BBB.

“Assisti aos vídeos e, bom… para te falar a verdade, está muito colorido. Não sei se a intenção é atingir o público infantil. Obviamente está bem mais produzido do que o meu. Não sei a ideia deles, quem eles querem atingir, mas está bem parecido. Cheguei a ver o primeiro programa, em que ela levou o Rafael Portugal, mas no segundo, com o Rodolffo, ela parece estar um pouco perdida, falando correndo. O próprio Rodolffo não entendeu o que ela falava”, critica a ex-Mulher Pera, que também discorda do visual de sua “sósia”, segundo a internet.

“Ela estava maravilhosa com o cabelão na época do Big Brother, agora cortaram e fizeram uma franjinha. Como ela tem o rosto angelical, redondinho, achei que não combinou. Poxa, a Rafa é tão linda, achei que o corte não ficou legal, mas cada um usa o cabelo como quer, né? Na época da Fadinha pediram para eu ficar bem loira, pintar o cabelo bem platinado, e usar uma franja de lado para atrair o público infantil. Acho que, tirando a franjinha, ficaria bem melhor para o rosto dela. É só uma dica, minha opinião”, palpita.

Ainda reconhecida com Mulher Pera, Suélem gostaria de seguir os passos de Rafa Kalimann como participante de reality show. Toparia todos… ou melhor, quase todos.

“Já tive um convite para o primeiro Power Couple, mas estávamos viajando muito para a Europa e não pude fechar com eles [a Record]. Como paramos de viajar por causa da pandemia, participaria numa boa de qualquer reality que nos procurar! Na verdade, não participaria do No Limite. Acho que não serviria para mim. Sofre muito, tem que ter muita dedicação, é trabalho braçal, você tem que sobreviver. Seria o único reality do qual não participaria, mas de resto podem me chamar que eu vou com certeza!”, sugere.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio