Em reestreia, Galvão Bueno narra gol que não aconteceu e dá bronca por palavrão

Vacinado, locutor esportivo transmitiu final da Supercopa do Brasil, entre Flamengo e Palmeiras, neste domingo (11)

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Flamengo e Palmeiras disputaram a Supercopa do Brasil na manhã deste domingo (11), porém o destaque da partida foi Galvão Bueno. Em seu retorno às narrações após 14 meses afastado, por ser do grupo de risco para Covid-19, o principal locutor esportivo da Globo se emocionou, se empolgou com a final e cometeu algumas gafes que deixaram a transmissão ainda mais divertida.

Quando o jogo estava 2 a 1 para o Flamengo, Galvão soltou a voz para narrar o gol de Gabriel Barbosa, o Gabigol, mas a bola sequer estufou as redes do goleiro Weverton e saiu pela linha de fundo. O lance foi interrompido, e o narrador pensou que a arbitragem havia marcado impedimento.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Somente após rever a jogada, Galvão percebeu a gafe. “E a bola foi para fora, porque ela nem entrou também, né?”, observou. “Eu gritei ‘olha o gol, olha o gol’ antes do chute, não imagino que alguém pudesse perder dali’”, complementou, justificando a gafe.

O erro ao vivo lembrou uma narração de Cleber Machado na final da Libertadores 2011, entre Santos e Peñarol, que virou meme nas redes sociais. O narrador gritou gol de Paulo Henrique Ganso, porém a bola havia ido para fora. No caso de Galvão, o erro pode ser justificado porque ele não estava no estádio, mas nos estúdios da Globo em São Paulo, e só tinha acesso às imagens da transmissão.

O narrador também “cornetou” a CBF (Confederação Brasileira de Futebol), responsável pelas imagens do jogo, por não ter mostrado uma briga entre integrantes de Flamengo e Palmeiras no corredor dos vestiários do estádio.

Galvão ainda deu bronca em um homem, integrante de um dos times, que soltou “vai tomar no c…” em alto e bom som no microfone instalado próximo ao campo. “Calma! Olha a boca!”, reclamou o narrador.

Sem narrar desde fevereiro de 2020, Galvão ainda não havia narrado partidas sem público. Desde a retomada do futebol durante a pandemia, os microfones da TV têm captado melhor o som ambiente dos jogos e, consequentemente, eventuais xingamentos de jogadores e técnicos.

A final terminou empatada em 2 a 2. Após uma disputa de pênaltis eletrizante, o Flamengo sagrou-se campeão da Supercopa do Brasil.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio