Bom Dia Sem Companhia: Atores encenam lado perverso dos programas infantis

Em musical, apresentadores mirins se reencontram e refletem sobre ansiedade e solidão

Publicado em 02/10/2021 13:17
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Apresentadores mirins, brincadeiras e roleta de prêmios lembram qual programa de TV? Inspirados no Bom Dia & Cia, Vitor Rocha e Luiza Porto mostram o lado “perverso” das atrações infantis e das relações humanas no espetáculo Bom Dia Sem Companhia, que estreia curta temporada neste sábado (2), em São Paulo, após apresentação na internet.

No musical, Vitor e Luiza interpretam dois artistas que se reencontram após dez anos para relembrar o programa que comandavam quando crianças, Vini & Lara Show. A reunião se transforma em uma reflexão sobre ansiedade, solidão e outros sentimentos que afloraram nos personagens e também em seus intérpretes durante a pandemia de coronavírus.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“Para escrever o espetáculo, eu me inspirei muito no que estávamos vivendo no isolamento, como lidamos com a nossa solidão, os nossos pensamentos e as relações distantes, e como lidamos com o outro mesmo não estando perto. Passeamos por muitos temas dentro dessa sessão de terapia musical, como ansiedade, solidão, abandono e síndrome do impostor”, explica à coluna Vitor Rocha, autor e protagonista da peça.

“O Bom Dia Sem Companhia nasceu na pandemia, quando estávamos há dois meses trancafiados, isolados. Sentimos todas as questões da peça baterem na gente: ansiedade, frustração, medo, insegurança. Contamos uma história que falasse sobre esses sentimentos que afloraram na pandemia, mas sem falar dela”, conta Luiza Porto.

Além de buscarem inspiração em suas próprias angústias, Vitor e Luiza pesquisaram sobre programas e artistas mirins que cresceram na TV, como Maisa, Priscilla Alcântara e Yudi Tamashiro. O apresentador do Bom Dia & Cia, aliás, relatou publicamente seu drama com alcoolismo após deixar o SBT na canção gospel intitulada… Bom Dia Sem Companhia. Segundo os atores, o nome da peça é mera coincidência.

“Descobri a música depois que começamos a ensaiar e achei a coincidência muito engraçada. A TV, para a criança, é tão perversa quanto qualquer ambiente, mas um pouco mais. Fazendo um paralelo com a internet, até porque temos crianças influencers, tem a ver com a criança colocada à prova em busca de resultados, onde há exposição e cobrança. O natural é a criança ir contra tudo isso. Ela está crescendo, aprendendo, descobrindo. A prontidão, o resultado, o sucesso podam muito. Acho muito perverso sim, como qualquer outro meio que impeça a criança de aproveitar coisas, viver e ser como ela é”, analisa Vitor.

“Era óbvio não comparar com Yudi e Priscilla. Pesquisamos muito sobre a Maisa na época em que ela apresentava. Eles foram uma baita de uma inspiração para a gente. Acho que [a música do Yudi] tem a ver com esse universo sim. É um meio complicado, tenho vários amigos que foram crianças na televisão, sabemos de histórias horríveis, mas acho que acontecem em muitos lugares onde trabalhamos, porque são relações. Todas essas coisas perversas acontecem porque é surreal o alcance que essas pessoas têm, mas mesmo com muita gente em volta elas se sentem sozinhas. O Bom Dia Sem Companhia traz essa reflexão”, afirma Luiza.

Com apenas 23 anos, Vitor Rocha não cresceu no auge da programação infantil e contou com a ajuda de Luiza, de 30, e de colegas de elenco especialmente convidados para o musical, como Hugo Picchi, manipulador de personagens no Cocoricó, e Marilice Cosenza, que trabalhou no Vila Sésamo, ambos na TV Cultura. O autor e protagonista de Bom Dia Sem Companhia também planeja levar o musical para a TV.

“O espetáculo foi criado pensando no vídeo e no palco ao mesmo tempo. Estreou no dia 11 de setembro em uma transmissão online, gerando um filme. A ideia é participar de festivais e, quem sabe em breve, passar em algum canal. Temos planos para os dois produtos”

Vitor Rocha, ator e roteirista

FICHA TÉCNICA:

Idealização, Texto e Letras de VITOR ROCHA

Músicas de ELTON TOWERSEY

Direção de ALONSO BARROS

Direção Musical e Arranjos de ELTON TOWERSEY

Direção de Movimento e Coreografia de ALONSO BARROS

Direção de Arte, Cenário e Figurinos de JULIANA PORTO

Confecção de Bonecos de RENAN LUCHON

Desenho de Luz de MARINA GATTI

Desenho de Som de PAULO ALTAFIM através da AUDIO S.A.

Elenco:

LUIZA PORTO, VITOR ROCHA, ANA BIA TOLEDO, LUCI OLIVEIRA, MIKAEL MARMORATO, RENAN REZENDE e THIAGO VENTURI

Participação Especial:

ANNA BEATRIZ SIMÕES, LORENZO TARANTELLI, HUGO PICCHI e MARILICE COSENZA

Produção: LUIZA PORTO e VITOR ROCHA

Assistência de Produção: GUSTAVO FLÓ e VICTOR MIRANDA

Realização: ENCANTO ARTÍSTICO e ENXAME PRODUÇÕES CULTURAIS

Equipe Audiovisual: VIENNA FILMES

SERVIÇO:

Musical Bom Dia Sem Companhia

Teatro Viradalata – Rua Apinajés, 1387 – Sumaré, São Paulo – SP

Curta temporada

De 02 a 24 de outubro

Aos sábados às 20h e domingos às 19h

Ingressos: R$ 30,00 (meia) a R$ 60,00 (inteira)

Vendas pelo site: https://bileto.sympla.com.br/event/68929/d/108630

Ponto de Venda sem Taxa de Conveniência:

Teatro Viradalata – Rua Apinajés, 1387 – Sumaré, São Paulo – SP

Informação: (11) 3868-2535

Horário de atendimento ao público:

sexta – das 19h até 22h

sábados – das 19h até 22h

domingos – das 17h até 20h

Siga o colunista no Twitter e no Instagram.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio