BBB 21: Revista que cravou vitória de Sarah é criticada e diretora se defende: “Não me arrependo”

Márcia Piovesan explica capa sobre favoritismo de participante, publicada um mês antes de sua eliminação

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A tradicional revista de celebridades Ti Ti Ti está no “paredão” do público do BBB 21 por ter cravado Sarah campeã do reality show da Globo um mês antes de sua eliminação. A capa viralizou nas redes sociais e foi criticada inclusive por um campeão do Big Brother Brasil. Procurada pela coluna, a diretora da publicação, Márcia Piovesan, esclareceu a decisão editorial e admitiu não se arrepender da reportagem.

A capa da edição 1144 da Ti Ti Ti, lançada logo depois da saída de Karol Conká com recorde de rejeição, estampou a seguinte manchete: “Campeões de realities e famosos dizem por que Sarah já ganhou o BBB 21!”. A formatação da revista, entretanto, evidenciou apenas a segunda parte da frase, sacramentando a vitória da agora ex-sister. A reportagem analisou o desempenho da participante e ouviu celebridades e campeões de realities, como Maria Melilo (BBB 11) e Rafael Ilha (A Fazenda 10).

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A experiente jornalista Márcia Piovesan, responsável pela capa, virou alvo de ataques e ofensas de fãs de outros participantes, especialmente Juliette, e foi acusada de torcer por Sarah. O vencedor do BBB 9, Max Porto, compartilhou a capa da Ti Ti Ti e escreveu que prever campeão nas primeiras semanas é “a coisa mais estúpida que existe”.

À coluna, Márcia Piovesan rebateu as críticas e afirmou que manterá a linha editorial que estampou Sarah na capa de fevereiro.

“Muita gente [da torcida] da Juliette escreveu: ‘Por que falaram isso?’, e algumas vezes eu respondi, porque naquele momento a Juliette não era favorita, que uma semana antes eu tinha publicado uma capa com as polêmicas do BBB, com Juliette, Karol Conká, Carla Diaz e Gilberto. Não existe arrependimento nenhum. Se fosse hoje, teríamos feito igual. As pessoas opinaram falando que não dá para cantar campeão. O jornalismo não é bola de cristal, é evidência do momento. Não fomos nós que tiramos a Sarah de lá! Vamos seguir a mesma conduta”, salientou.

A jornalista ainda defendeu o trabalho da repórter Flávia Serra, que assinou a matéria sobre Sarah e entrevistou famosos que torciam pela sister. Piovesan analisa que a capa viralizou porque está impressa e, portanto, “eternizada”.

“A revista é como livro, fica para sempre. Não nos arrependemos em nenhum momento, porque ali a Sarah era apontada como a grande favorita, inclusive por muitas celebridades. Ela tinha eliminado a ‘turma do mal’. Nos embasamos nisso. É que a revista fica eternizada porque está no papel. Se você me perguntar se eu me arrependo, não, porque naquele momento era a Sarah. As pessoas precisam entender que é diferente da internet, que dá para corrigir alguma coisa. O jogo muda. Se ela mudou o comportamento, porque mudaríamos de ideia? A responsabilidade é do participante. Se ela não tivesse cometido erros, como ela mesmo admitiu… Se fosse hoje, teríamos feito igual”, disse a editora-chefe da Ti Ti Ti.

Piovesan, que também atua na internet, no rádio e no programa A Tarde É Sua (RedeTV!), negou torcer por qualquer participante do BBB 21: “Tenho 30 anos de carreira. Nosso jornalismo é absolutamente imparcial. Não tenho preferência por ninguém. Sou jornalista. Se alguém ganhar R$ 1,5 milhão, para mim não mudará nada”.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio