Autores de Malhação desabafam sobre cancelamento: “A vida é desafio e nosso sonho continua”

Temporada escanteada pela Globo teria 70% do elenco negro

Publicado em 30/09/2021 14:54
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Autores da temporada cancelada de Malhação, Eu Quero É Ser Feliz, os irmãos Eduardo e Marcos Carvalho se manifestaram pela primeira vez sobre o fim do projeto e a extinção do formato iniciado em 1995. Em suas redes sociais, os premiados diretores e roteiristas reforçaram que não desistirão de produzir conteúdos com mais representatividade e proximidade com o “Brasil real” (o elenco da novela que escanteada pela Globo teria 70% do elenco negro).

“Agradecemos por todas mensagens que recebemos e por aquelas que não recebemos, pois as pessoas ficam na dúvida se é pertinente se manifestar. Por aqui, seguimos serenos e firmes”, iniciaram os autores de Malhação: Eu Quero É Ser Feliz.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“Há 3 anos, antes mesmo de definirmos sobre o que seria a história, traçamos uma premissa: precisamos nos ver nela. Queríamos olhar pelo portão, ver as pessoas subindo o morro e pensar: nossos personagens, com seus dramas, poderiam estar subindo essa ladeira. Apresentar isso para milhões virou nosso sonho”, prosseguiram os irmãos Carvalho.

“Mas a vida é desafio e nosso sonho continua. Um sonho que não é só de nós dois, nem só da equipe, nem só do elenco. Sonho dos que vieram antes de nós e nos abriram caminho. Sonho de Ruthes e Otelos. Sonho de Zezés e Miltons. E de milhões de brasileiros. O sonho da tela da TV ser menos janela e mais espelho. Menos janela pra um Brasil de bairro nobre de Rio ou São Paulo e com cor de Suíça. E mais espelho de nós mesmos, do Brasil real. Um Brasilzão grande e complexo. Cheio de dor e alegria, miséria e irreverência. E cor. Muitas. Todas”, continua o texto publicado no Instagram.

“Não temos a pretensão de herdar o anel de bamba dos gigantes que vieram antes de nós. Mas, assim como tantos outros, assumimos a responsabilidade de atender ao pedido final de muitas e muitas gerações: a de não deixar nosso samba morrer. Nem nossos sonhos”, afirmaram os diretores.

“E a foto da sarrada com os prêmios que recebemos em Brasília pelo filme ‘Chico’ é pra lembrar que a favela é potência e magia. Que não importa onde tá a linha de chegada, nós passaremos por ela. Melhor: por cima dela, sarrando. Nós, os que já vieram antes e os milhares que também são responsáveis por estarmos aqui. Juntos. Sempre. Paz”, concluíram os irmãos gêmeos.

Siga o colunista no Twitter e no Instagram.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio