Ator mirim diz como “chutou” Alinne Moraes em Um Lugar ao Sol: “Ensaiamos quatro vezes”

Miguel Schmid conta à coluna sobre cena que chocou o público de novela das nove

Publicado em 29/12/2021 18:52
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A briga entre Bárbara (Alinne Moraes) e Luan (Miguel Schmid) ainda repercute entre o público de Um Lugar ao Sol. Na última segunda-feira (27), a filha de Santiago (José de Abreu) foi chutada pelo garoto e revidou com um tapa na cara na frente da mãe dele, Érica (Fernanda de Freitas), que, enfurecida, revelou a farsa do conto de Janine (Indira Nascimento) roubado pela herdeira da rede de supermercados Redentor.

Alguns telespectadores se preocuparam com o menino após a “surra”, mas ele assegura: foi tudo ensaiado e seguro para os dois atores. A coluna procurou Miguel Schmid e perguntou como foi “brigar” com Alinne Moraes logo em sua primeira novela.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“Foi uma das cenas mais legais que eu gravei porque foi a minha primeira de ação”, comemora o ator, que completou 12 anos em dezembro. Embora tenha ido ao ar quase um ano depois, o garoto lembra com detalhes os bastidores da gravação.

“Antes de chegarmos ao set [local da filmagem], tivemos uma preparadora que me explicou como iria ser e um diretor de ação. A gente ensaiou várias vezes”, conta Miguel.

Na cena, Bárbara foi tirar satisfações com Luan após o garoto ter quebrado uma peça no quarto dela ao chutar sua bola. O pequeno não se intimidou. Disse que Santiago havia deixado-o brincar dentro de casa e o chamou de “namorado” de sua mãe. Irritada, Bárbara exigiu que Luan se desculpasse. O garoto se negou a pedir perdão e, quando a filha de Santiago avançou, chutou sua perna duas vezes. Ela se descontrolou e agrediu o filho de Érica no rosto.

A cena chocou o público pela violência, o que significa que foi muito bem feita, já que, segundo Miguel Schmid, Alinne Moraes não encostou um dedo sequer nele. Após a gravação, os dois se abraçaram e deixaram a briga de seus personagens para trás.

“A mão da Alinne nem chegou perto do meu rosto, não tocava. Quando eu a chutei, ela estava com a perna aberta e eu chutava entre as pernas dela. Ensaiamos umas três ou quatro vezes, tudo certo. Gravamos a cena, foi tudo muito bom. No final, a gente se abraçou”, relembra Miguel.

Siga o colunista no Twitter e no Instagram.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio