Mais do que você gosta.
Assine o Star+
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Exclusivo

Assistente japonês de Sabrina Sato teme Covid na Olimpíada e quer voltar ao Brasil

Mr. Fu conquistou brasileiros após apresentar o game show Made in Japão na Record

Publicado em 23/07/2021
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Os Jogos Olímpicos de Tóquio, inaugurados oficialmente nesta sexta-feira (23), causam preocupação em um dos artistas mais carismáticos do Japão e que atuou na TV brasileira em 2020. Mr. Fu, fiel escudeiro de Sabrina Sato no game show Made in Japão, da Record, retornou à terra natal antes da pandemia de coronavírus e, com tristeza, observa de longe o avanço da Covid-19 no país que aprendeu a amar.

“A propagação do coronavírus é muito grande. Acho que muitas pessoas estão sofrendo. Pode haver momentos em que todos nós queremos sair. Porém, quero que todos cooperem porque é um momento difícil. Eu amo o Brasil e quero voltar agora mesmo. Quero fazer muitas coisas aí. Até lá, quero que todos estejam bem”, torce o ator japonês, em entrevista exclusiva à coluna.

Continua depois da publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Mr. Fu é conhecido por ser uma espécie de juiz “sem noção” do game show Big in Japan, gincana com provas malucas tradicional na TV japonesa e exportada para dezenas de países. No Brasil, o programa inspirou as icônicas Olimpíadas do Faustão, mas somente em 2020 ganhou sua versão brasileira oficial, apresentada por Sabrina Sato.

A pandemia também separou Fu de seu parceiro na TV, Yoshi Amao, apresentador do Big in Japan e anfitrião do game show nos países que importaram o programa. “Às vezes falo com ele pelo Skype”.

Made In Japão (Divulgação: Record TV)

O artista japonês teme um aumento do número de casos de Covid-19 no Japão com o início dos Jogos. Na última quinta, Tóquio registrou 1.979 novos casos de coronavírus, segundo o governo local. A capital japonesa registrou o 33º dia de aumento consecutivo de testes positivos.

“As Olimpíadas são perigosas, não são? A infecção por coronavírus não é suprimida no Japão. O governo não toma medidas contra o vírus, embora não tanto quanto no Brasil. Os jovens estão bebendo e se aglomerando nas ruas. Todo o meu trabalho foi cancelado. Não vou a lugares com muitas pessoas. No entanto, muitos vão trabalhar entrando em trens lotados”, critica.

Atualmente, Fu se prepara para atuar em um filme e tem projetos para a TV após a pandemia. Enquanto se protege do coronavírus, mantém contato com Sabrina Sato e os ex-participantes do Made in Japão, inclusive o campeão, o jogador Richarlyson, que faturou o prêmio de R$ 500 mil.

“Ainda falo com Sabrina e as celebridades. Eu cantei uma música brasileira de aniversário para a Sabrina este ano. Gui Santana, Dhomini e Maurren [Maggi] já me enviaram mensagens em japonês. Richarlyson apresentou um programa de treinamento para mim. Machuquei meu ombro no segundo dia”, brinca.

Mais difícil do que o treino de Richarlyson, para Fu, é falar português. Embora seu perfil no Instagram esteja devidamente traduzido, ele costuma conversar com fãs brasileiros (e com este colunista) com a ajuda do Google Tradutor: “Muito difícil! Eu ainda não entendo nada. A gramática também é difícil, como o vocabulário e a pronúncia. Pessoas que falam português são gênios”.

Com saudade do Brasil, Fu lembra com carinho o período curto, porém muito proveitoso, ao lado de Sabrina Sato e a equipe do Made in Japão. Ao lado da musa, conheceu pontos turísticos e até visitou a quadra da Gaviões da Fiel, escola de samba da qual a apresentadora é rainha de bateria.

“Eu ia para estúdios, hotéis, emissoras, hotéis… o que senti foi a amizade com a equipe de gravação. Eles foram ótimos. Sabrina me convidou para um ensaio de samba. Ela e a bateria foram incríveis! Fiquei muito surpreso [com o sucesso de Sabrina]! Já trabalhei com celebridades de todo o mundo e Sabrina é a melhor. Eu amo o Brasil e os brasileiros. São muito alegres, gentis e trabalhadores”, elogia.

Para encerrar, Fu propõe um desafio para Sabrina Sato. Sobrou até para este colunista! “Quero que a Sabrina coma insetos e que você voe no céu com balões, porque Sabrina voou com muitos balões de borracha!” (Nota do colunista: Acho que esta eu vou passar).

Siga o colunista no Twitter e no Instagram.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Posting....