Após ataque homofóbico, Sport homenageia Gil e “rebatiza” jogadores com apelido “do Vigor”

Ação é uma resposta às ofensas preconceituosas de Flávio Koury, conselheiro do clube, contra o ex-BBB

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Time do coração do ex-BBB Gilberto Nogueira, o Sport decidiu homenagear seu ilustre torcedor na camisa dos jogadores no primeiro jogo da final do Campeonato Pernambucano, neste domingo (16). Todos atletas entrarão em campo para enfrentar o Náutico “rebatizados” com o apelido do economista: “do Vigor”.

A ação do Sport é uma resposta ao áudio homofóbico de Flávio Koury, conselheiro do clube. Com frases desconexas, o advogado chamou a visita de Gil à Ilha do Retiro, estádio do time pernambucano, de “desmoralização” e “vergonha na cara”, e ainda culpou o PT.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“Se ele tivesse feito essa dancinha na casa dele, ou em um bordel, ou onde ele quisesse, não estava nem aí, mas foi dentro da Ilha do Retiro essa desmoralização. Isso é ausência de vergonha na cara. É isso que a gente está vivendo. Esses tempos novos que estão falando é isso. Não há mas respeito, filho não respeita pai, pai não respeita filho, não respeito irmão. É isso aí. É a depravação. Isso é o retrato do legado que o PT deixou para a gente”, disse o advogado.

Procurada pela coluna, a assessoria de Gilberto informou que o único posicionamento a respeito deste caso foi publicado no Twitter do ex-BBB. Ele admitiu ter ficado mal com o ataque e optou por se afastar das redes sociais para não sentir mais dor.

“Primeiro ataque homofóbico que me deparo após o BBB e posso garantir, ainda machuca MUITO! Mas sigo firme e providências serão tomadas. Tirando o dia off para não perder minha alegria por tudo que venho vivendo… É muita dor!”, escreveu.

A mãe de Gil, Jacira Santana, fez um apelo em seu Instagram pelo fim do preconceito contra a comunidade LGBTQIA+: “Vocês não imaginam como me dói como mãe ver meu filho passar por isso… Gente, estamos no século 21. Vamos ter respeito e bom senso, mais amor ao próximo. Não precisa ser gay, lésbica ou bi para ser contra a homofobia. Vamos ter mais amor, por favor!”.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio