Compre iPhone SE na Apple a partir de R$ 3.779,10 à vista ou em até 12 vezes. Frete grátis para todo o Brasil
Saiba mais
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Explicando

Marcos Mion rebate crítica de padre por conta de tênis que usou no Caldeirão

O apresentador afirmou que o valor especulado não é o que ele pagou no item

Publicado em 25/01/2022
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Uma grande parte do que acontece no Caldeirão com Marcos Mion tem repercutido bastante nas redes sociais, mas a mais recente acabou se tornando polêmica por um motivo bobo.

Depois do apresentador ter usado um tênis que o valor especulado seria de aproximadamente R$ 80 mil, a notícia logo se espalhou e muita gente falou sobre o item. Porém, o padre Júlio Lancellotti, que é conhecido por lutar por causar humanitárias de moradores de rua, também falou sobre isso.

Continua depois da publicidade
Não foi possível carregar anúncio

“Causa tristeza tanta desigualdade”, escreveu o religioso ao compartilhar um publicação, marcando o apresentador. Porém, Marcos Mion não pensou duas vezes antes de rebater o comentário, além de negar que aquele seja o valor que ele pagou pelo tênis, explicando o que realmente pode ter acontecido.

“Querido Padre Júlio, preciso deixar claro que essa notícia quer causar exatamente esse efeito: choque. Eu não paguei e nunca pagaria esse valor em um tênis. Existe um mercado de hipervalorização de tênis como de qualquer outro produto, mas eu não faço parte dele”, começou escrevendo Mion.

“Esses tênis que eu tenho, que atingem esses valores neste mercado paralelo, ou eu ganhei da marca ou comprei na loja, no lançamento, pagando o valor de mercado. Eu tenho 100% de consciência do meu lugar de privilégio e por isso mesmo levo como obrigação ajudar ao próximo, como já fiz, por exemplo, doando e também divulgando as suas causas”, continuou o apresentador.

Padre Júlio entende a reposta de Marcos Mion sobre tênis polêmico

“Unidos na luta pelos fracos e descartados. A convivência diária com os mais pobres nos fere demais. Todos os dias vejo os pés marcados de tantos que até trabalham e não conseguem sequer um chinelo. Deus nos guarde e Maria também”, escreveu o padre posteriormente.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Posting....