Mais do que você gosta.
Assine o Star+
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Curiosidades da TV

Relembre alguns casos como o de Pecado Capital, que teve duas versões produzidas pela TV Globo

Janete Clair já teve quatro obras revisitadas pela emissora, geralmente por motivos especiais

Publicado em 02/02/2022
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Nesta segunda-feira (31), o Globoplay fez a alegria dos noveleiros com a inserção em seu catálogo da versão original de Pecado Capital, novela de Janete Clair produzida em 1975/76. Dirigida por Daniel Filho, a história é protagonizada por Francisco Cuoco (o taxista Carlão), Lima Duarte (o industrial Salviano) e Betty Faria (a operária Lucinha, que se torna modelo de sucesso).

Sempre constante das listas de melhores novelas brasileiras de todos os tempos, Pecado Capital ganhou uma nova versão em 1998/99, na ocasião em que eram lembrados os 15 anos da morte de Janete Clair (ocorrida em 1983). Em adaptação de Glória Perez, o projeto trouxe de volta Francisco Cuoco (agora como Salviano), e o casal de Por Amor (1997/98) Eduardo Moscovis e Carolina Ferraz para viver Lucinha e Carlão.

Continua depois da publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Janete Clair: até aqui, quatro criações da novelista para a TV Globo ganharam novas versões na mesma emissora

Janete Clair (Divulgação)

Outras três novelas de Janete foram refeitas pela própria TV Globo até aqui: Selva de Pedra (1972/73), em 1986, para prosseguir com o grande sucesso de Roque Santeiro (1985/86) na faixa das 20h; Irmãos Coragem (1970/71), em 1995, celebrando os 30 anos da emissora; e O Astro (1977/78), em 2011, no aniversário de 60 anos de novelas no Brasil.

Em 2009/10, o SBT exibiu Vende-se Um Véu de Noiva, escrita por Íris Abravanel. A novela foi baseada num original radiofônico de Janete Clair, no qual a novelista também havia se baseado para desenvolver Véu de Noiva (1969/70) para a TV Globo. Mas a produção do SBT não é um remake da novela global.

Mestre das 19h, Cassiano Gabus Mendes já foi revisitado duas vezes em novas versões pela TV Globo

Cassiano Gabus Mendes (Memória Globo)

Cassiano Gabus Mendes começou a escrever novelas para a TV Globo nos anos 1970, e esteve presente na televisão brasileira desde antes da própria entrada do veículo no ar.

O novelista faleceu em 1993, e as duas adaptações foram feitas depois disso e pela mesma profissional: Maria Adelaide Amaral. Em 1997/98, a dramaturga estreou como autora titular na TV com Anjo Mau, na qual Glória Pires reviveu a babá Nice, que foi de Susana Vieira no original de 1976.

Já em 2010/11 foi a vez de Ti-ti-ti, com Murilo Benício e Alexandre Borges nos papéis de Victor Valentim e Jacques Leclair, que marcaram as carreiras de Luís Gustavo e Reginaldo Faria em 1985/86.

Falou-se bastante numa nova versão de Brega & Chique nos anos 2010, mas o projeto, se verdadeiro, não saiu do papel até hoje – e nesse meio tempo uma reprise da novela, produzida em 1987, foi ao ar no Canal Viva. O máximo de resgate que houve foi Sangue Bom (2013), de Maria Adelaide e Vincent Villari, trazer Malu Mader com o nome de Rosemere, o mesmo de Glória Menezes em Brega & Chique.

Curiosidades da TV relembra alguns desses casos aqui no Observatório da TV – novelas clássicas da TV Globo que a própria emissora refez anos depois. Confira o vídeo!

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Posting....