Vem aí

Canal Viva deve exibir duas novelas nunca reprisadas; veja quais

Tramas devem ser reapresentadas pela primeira vez em 2023

Publicado em 23/10/2022

Duas novelas nunca reprisadas devem ser exibidas pelo Canal Viva em breve. Se confirmado, as tramas estão cotadas para 2023.

Por enquanto, a emissora anunciou o retorno de três folhetins: Força de Um Desejo, que estreia no dia 24 de outubro; Coração de Estudante, que começa em 7 de novembro; e Bambolê, no ar a partir de 28 de novembro.

Sendo assim, as substitutas dessas novelas já são ventiladas, com duas fortes opções que podem ser reapresentadas pela primeira vez.

Um Anjo Caiu do Céu

Novela de Antonio Calmon, Um Anjo Caiu do Céu deve entrar no lugar de Coração de Estudante no Canal Viva. A trama foi ao ar originalmente em 2001.

Recentemente, chegou ao Globoplay, agradando os fãs saudosistas. A história aborda o drama de João Medeiros (Tarcísio Meira), que quase morre em um atentado. Mas ele conhece o anjo Rafael (Caio Blat) e ganha a chance de voltar à vida para resolver problemas ligados à família e amor.

O elenco da novela é estrelar. Contou com Christiane Torloni, Renata Sorrah, Paulo José, Débora Falabella, José Wilker, Patrícia Pillar, Deborah Evelyn, além de uma participação da apresentadora Angélica.

Caio Blat e Tarcísio Meira
Caio Blat e Tarcísio Meira em Um Anjo Caiu do Céu

O Sexo dos Anjos

Trama pouco lembrada do final da década de 1980, O Sexo dos Anjos é uma forte candidata para reprise. A produção foi escrita pela aclamada autora Ivani Ribeiro.

Segundo o portal Na Telinha, não há mais empecilhos para o retorno do folhetim, sobretudo em relação a registro do título. Por isso, entrou na mira do canal da Globo.

Sendo assim, a novela é uma forte candidata para entrar no lugar de Bambolê em 2023. Entre os destaques do elenco, estavam Isabela Garcia, Bia Siedl, Marcos Frota e Felipe Camargo.

Cena da novela O Sexo dos Anjos
Cena da novela O Sexo dos Anjos

O canal do Observatório da TV está com novos vídeos. Inscreva-se para acompanhar!

Leia mais textos deste colunista.

© 2024 Observatório da TV | Powered by Grupo Observatório
Site parceiro UOL
Publicidade