Rádio e streaming resgatam O Bem-Amado, um clássico

Primeira novela colorida da TV brasileira está de volta, em pílulas semanais na CBN e a partir deste mês também no serviço Globoplay

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A partir desta segunda-feira (15), o Globoplay resgata um clássico da televisão brasileira. De autoria de Dias Gomes, O Bem-Amado (1973) foi a primeira novela em cores do País e também a primeira a ser vendida para outros países, iniciando uma fase de sucesso da dramaturgia nacional no exterior que se estenderia ao longo das décadas seguintes.

Paralelamente, a novela já vinha sendo divulgada por meio de pílulas semanais na rádio CBN. O formato de sketches nas ondas do rádio encaixou-se perfeitamente à trama, que é uma crônica da política nacional muito bem contada por meio do microcosmo da interiorana cidade ficcional de Sucupira.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

No rádio, percebemos como o discurso do prefeito Odorico Paraguaçu (Paulo Gracindo), ao ser cruzado com a retórica do presente na política nacional, permanece atual.

O Bem-Amado é uma história que não envelhece. O prefeito oportunista, corrupto e dono de um linguajar peculiar se elege com a promessa de construir um cemitério, usa recursos de forma duvidosa e não consegue inaugurar a obra.

Sucupira não envelheceu e a novela é uma alegoria da forma como se dão as relações políticas e como se tratam os recursos públicos no País. A história foi contada em plena ditadura militar no Brasil, com vários “dribles” à forte censura da época.

Ainda assim, o tom principal crítico aos maus hábitos da política é premente em toda a trama. Na CBN, a Rádio Sucupira é transmitida às sextas-feiras, às 9h58, dentro do Jornal da CBN.

A novela que poderá ser vista no Globoplay foi eleita pela Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) a melhor do ano de 1973, e a entidade também concedeu a Paulo Gracindo o prêmio de melhor ator daquele ano pelo trabalho.

Além do prefeito vivido por Gracindo, outros personagens entraram para a história da dramaturgia brasileira, como o Zeca Diabo (Lima Duarte), as Irmãs Cajazeiras – Doroteia (Ida Gomes), Dulcineia (Dorinha Duval), e Judiceia (Dirce Migliaccio) – e ainda o assessor Dirceu Borboleta (Emiliano Queiroz).

O Bem-Amado teve originalmente 178 capítulos exibidos entre janeiro e outubro de 1973, com grande elenco, que merece ser assistido. Além dos já citados, conta ainda com nomes como Zilka Salaberry, Ruth de Souza, Jardel Filho, Sandra Bréa, Carlos Eduardo Dolabella, Milton Gonçalves e Gracindo Júnior. A direção é de Régis Cardoso, com supervisão de Daniel Filho.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio