Divas maravilhosas

Drags recebem famosas e se emocionam com Gretchen: chuva de memes

Chega a nova temporada do Drag me as a Queen, só com Celebridades e em oito episódios

Publicado em 14/09/2021

A nova temporada do programa Drag me as a Queen chega na próxima semana (dia 21, às 22h50) ao canal E! com oito episódios de uma hora cada e uma grande novidade: o complemento Celebridades.

As drags no comando da atração — Penelopy Jean, Ikaro Kadoshi e Rita Von Hunty –, receberão convidadas famosas em todos os programas. E Gretchen, inspiradora e musa de dez entre dez drag queens do País, é uma delas.

As hostesses se emocionaram ao se depararem com a diva, de quem contam haver um lado que é impossível não sorrir. E a transformação de Gretchen, segundo elas, vai surpreender. “Vem aí uma chuva de memes”, entrega Penelopy.  

Diferentemente das outras temporadas, quando o desafio para as drag queens que comandam a atração era transformar o visual e despertar as divas interiores de mulheres anônimas, desta vez as convidadas já serão conhecidas do grande público.

A atração que chega é o que se chama spin-off, uma variação das temporadas anteriores do programa.

Em entrevista coletiva virtual sobre o novo programa, Ikaro Kadoshi e Penelopy Jean contaram um pouco sobre os bastidores da nova temporada.

Elas receberão, além de Gretchen, também: Maria Rita , Preta Gil, Lellê, Nicole Bahls, Renata Kuerten, Maria Eugênia Suconic e Karin Hills.

A cantora Maria Rita, convidada de um episódio do Drag me as a Queen Celebridades, do Canal E!. Foto: Divulgação

Marcello Coltro, vice-presidente da NBC-Universal e do canal E!, conta que a atração já é exibida em mais de 20 países na América Latina, levando sempre 100% de música brasileira. Nesta temporada, por exemplo, entram músicas para dublagem já cantadas por vozes como Beth Carvalho, Iza e Gloria Groove.

O programa é um formato original, parceria do canal E! com a produtora nacional Movioca.

Engana-se quem acha que é um processo de mudança só para as drag queens. Além da transformação relacionada ao nosso trabalho, somos outras pessoas graças às mulheres que passaram nesse programa”, conta Ikaro.

O artista transformista define como arte o trabalho das drags e diz que este sempre foi muito marginalizado no Brasil.

Durante muito tempo achava que o trabalho era só para boates. Ser drag queen no Brasil é um exercício de amor e paciência.”, afimra Ikaro.

Ikaro continua: “Nós todas tivemos de ter paciência para as pessoas modificarem-se. Para entender que é lúdico, algo para ser agregado. Está atrelado à libertação e questionamentos”.

O guarda-roupa do programa segue bem inspirado. Os estilistas Walério Araújo e Edson Fabrício assinam os modelos.

Patrocínios

Marcello Coltro conta que, nas temporadas anteriores, ele acompanhou as drag queens até as agências de publicidade para apresentação ao mercado.

Sobre a receptividade do tema da diversidade no setor anunciante, ele diz já ver uma abertura maior. “Algumas marcas já dão muito apoio nas redes sociais (das apresentadoras) e creio que a gente está abrindo um caminho bastante importante”.

Para Coltro, grandes anunciantes com essa coragem de apoiar a causa LGBTQIA+ são marcas que estão sendo pioneiras.

O programa no Canal E! tem nesta nova temporada patrocínio da fabricante de bebidas Diageo.

Renovação

Drag me as a Queen já está confirmado para a grade em 2022. E o executivo do canal E! não descarta a possibilidade de se abrirem novas possibilidades para o programa.

Uma versão on the road (na estrada), com convidados homens ou com pessoas acima de 65 anos estão entre as sugestões a serem consideradas.

O céu é o limite”, arremata Penelopy.

O trailer da nova temporada pode ser visto a seguir: