Bob Cuspe – Não Gostamos de Gente vai a festival na França

Longa-metragem está entre os representantes do Brasil no Festival de Cinema de Animação de Annecy

Publicado em 4/6/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Entre as produções brasileiras que participam do Festival Internacional de Cinema de Animação de Annecy, na França, que acontece neste mês, estão dois longas-metragens de destaque. São eles: Bob Cuspe – Não Gostamos de Gente, baseado nas histórias em quadrinhos do personagem criado pelo cartunista Angeli; e Meu Tio José, de teor político.

O evento francês é o maior e mais importante do setor no mundo e acontecerá entre 14 e 19 de junho. Ambos os filmes de animação receberam apoio do Projeto Paradiso, por meio do programa Brasil no Mundo, para participar de Annecy.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Bob Cuspe – Não Gostamos de Gente é uma animação stop-motion que mistura documentário, comédia e road-movie. Traz a história do personagem Bob Cuspe, um velho punk tentando escapar de um deserto pós-apocalíptico que é na verdade um purgatório dentro da mente de seu criador, Angeli, um cartunista passando por uma crise criativa. A produtora é a Coala Filmes.

A história é livremente inspirada na vida e obra de Angeli, que se tornou famoso nos anos 70 com o lançamento de charges políticas em meio à ditadura militar brasileira. Na década de 80, ele migrou para o cotidiano, mostrando um senso de humor ácido para representar a sociedade, o dia-a-dia e os costumes do Brasil.

Angeli obteve grande sucesso editorial com a revista mensal Chiclete com Banana, que vendeu mais de 120 mil exemplares por edição. Ele também criou outros personagens famosos como a diva boêmia Rê Bordosa, a dupla hippie Wood & Stock, entre outros. A previsão de estreia do longa-metragem no Brasil é 21 de dezembro.

Destaque para os atores que fazem as vozes dos personagens de Bob Cuspe – Não Gostamos de Gente: Milhem Cortaz (Bob Cuspe), Paulo Miklos (Irmãos Kowalski e o guru Rhalah Rhikota), André Abujamra (Charlatão), Grace Gianoukas (Rê Bordosa). A direção é de Cesar Cabral.

Ditadura militar

Frame de Meu Tio José, de Ducca Rios, baseado em fatos reais

Meu Tio José, da Origem Produtora de Conteúdo, foi escrito e dirigido por Ducca Rios e tem voz original de atores como Wagner Moura e Tonico Pereira. A produção baiana é baseada em fatos reais e conta, pelo olhar de uma criança, a história familiar de um ex-guerrilheiro morto na ditadura militar. 

É a primeira vez que um longa-metragem da Bahia compete no festival. Baseado em fatos reais, Meu Tio José concorre na categoria Contrechamp . “Quando meu tio foi assassinado, eu tinha apenas dez anos de idade, foi um choque para mim e toda a família. A partir dali comecei a entender o que é uma ditadura militar e esse filme é a minha resposta para uma realidade bruta que nos deixou cicatrizes”, destaca Ducca.  

Em dois anos de existência do Projeto Paradiso, 68 profissionais brasileiros do audiovisual foram beneficiados, 14 projetos foram selecionados pela Incubadora Paradiso, foram concedidas 42 bolsas de estudo internacionais, foram firmadas parceiras com 44 instituições, além de terem sido oferecidos 15 cursos e masterclasses.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio