Mais do que você gosta.
Assine o Star+
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
DESFECHO

Morte de Albieri em O Clone: como é o final do criador de Léo?

Criador e criatura partem para o Marrocos em uma fuga misteriosa

Publicado em 23/03/2022
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

A reprise de O Clone no Vale a Pena Ver de Novo, mesmo 20 anos depois da primeira exibição, consegue prender o público com as suas várias histórias entrelaçadas.

No final do folhetim de Gloria Perez, o público conhecerá os desfechos dos personagens. Albieri (Juca de Oliveira) e Léo (Murilo Benício), por exemplo, têm um final desesperador.

Continua depois da publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Criador e criatura chegam aos capítulos que fecham a história envoltos por muito mistério e também diversas intrigas. Afinal, o cientista passa a ser perseguido por ter criado o clone humano, assim como é acusado formalmente pela classe médica por esse feito histórico.

Entenda o que acontece com os dois personagens.

Léo (Murilo Benício) e Albieri (Juca de Oliveira) em cena de O Clone (Divulgação Globo)

O final trágico de Albieri

Albieri, um dos protagonistas de O Clone e responsável pelo mote principal da trama – a clonagem – vai ter um final misterioso.

O médico, que passa a história toda receoso de ter seu segredo descoberto (a clonagem de Lucas, que resultou em Léo, gerado na barriga de Deusa), vai acabar sendo julgado pela Comissão de Ética e condenado após diversos depoimentos, incluindo o de sua própria esposa, Edna (Nívea Maria).

Já sabendo que a mulher vai denunciá-lo, Albieri decide fugir para bem longe e Léo, seu pupilo, vai querer segui-lo. O geneticista chega a falar pra Júlio (Murilo Grossi), que é o porta-voz sobre o que Edna fez, “que prefere a morte do que ser considerado culpado pela criação do clone e ser preso”.

Essa fuga por si só já é bem inusitada, mas o que ocorre nas cenas finais chega a ser enigmático: tanto o médico quanto seu clone são ‘engolidos’ pela poeira do deserto marroquino por onde caminham. Desse modo, a principal teoria é que Albieri morre em O Clone, pois não consegue conviver com a verdade de não ter sua ciência reconhecida.

Albieri (Juca de Oliveira) e Leo (Murilo Benício) em O Clone (Reprodução/TV Globo).

Léo chora, pede outro clone e tem o mesmo fim

Assim como o desfecho de Albieri, o de Léo é igualmente intrigante. Desde que cresceu, o rapaz clonado se mostra alguém completamente desnorteado.

Sem ‘identidade’, ele passa a viver uma vida que não é de fato sua, e na verdade, parece seguir boa parte do que foi vivido por Lucas.

Para se ter uma ideia, ele se sente atraído por Jade e os dois até ‘se conhecem melhor’. Tudo isso gera muitos embates psicológicos entre ele e o próprio Lucas.

Acreditando que Albieri é seu verdadeiro pai – e que de fato é, afinal, o fez em laboratório -, ele cria uma conexão muito forte com o médico até os momentos finais da trama.

Em seus últimos momentos na trama, Léo chega a chorar pedindo para Albieri criar outro clone para que se tenha no mundo uma pessoa tal qual a ele.

Como exposto anteriormente, o garoto clonado segue o cientista até o Marrocos. Albieri tenta fazer com que ele volte para o Brasil e o deixe sozinho, mas bate o pé e fica. No fim, também desaparece no deserto.

Leia outros textos desta colunista.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Posting....