Mais do que você gosta.
Assine o Star+
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
NOVELA DAS SEIS

Como fica Emília? Marcos Veras abre o jogo sobre Enrico de Além da Ilusão

Malandro vai dar o que falar ao pensar que a copeira é rica

Publicado em 14/04/2022
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Marcos Veras entra em Além da Ilusão para interpretar Enrico, um bon vivant interessado em enriquecer sem ter muito trabalho.

Sua maior meta é seduzir mulheres ricas para tentar se casar. Mas curiosamente, nesse contexto, sua primeira vítima não terá as características que geralmente procura: Emília (Gaby Amarantos), a copeira da casa de Violeta (Malu Galli).

Continua depois da publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Em entrevista, o ator detalhou a personalidade de Enrico e o que o público pode esperar dele daqui para a frente na história de Além da Ilusão.

Como você define o seu personagem?

Enrico é um bon-vivant, um homem que gosta do bom e do melhor, porém não tem onde cair morto. É extremamente ambicioso, gosta do poder, de dinheiro, de luxo. Usa do charme, da sedução e da conquista para conseguir o que quer.

Ele vive um dia após o outro, uma semana após a outra pensando: “quem eu vou conquistar essa semana para conseguir viver do jeito que eu mereço, do jeito que eu quero?”

Seduz com seu charme e simpatia as mulheres que encontra pelo caminho, sejam elas pobres ou ricas – de preferência ricas – e sem se importar com a idade, até porque ele se relaciona com a dona Santa, que é uma mulher mais velha, com a Emília, que é uma mulher mais nova.

O importante é ele usar o que tem de melhor: a lábia, a conversa, para conseguir os seus luxos, mesmo que pra isso faça coisas erradas, antiéticas e aplique golpes, que é o que ele vai fazer na novela.

Enrico (Marcos Veras) em Além da Ilusão

Em que/quem se inspirou para fazê-lo?

Não nos faltam exemplos na política, próximos de nós. Se aguçarmos o nosso olhar, sempre veremos alguém que tem uma lábia muito forte na conversa, que é muito ambiciosa, mas eu sempre recorro ao texto, em que as características do personagem são muito presentes. Eu tenho esse apreço pelo texto, ele é muito claro.

Quem é esse cara? Ele é um canalha, porém charmoso, é um covarde, porém simpático. É um personagem dúbio também. Eu sempre curto muito ver filmes, então recorri aos filmes de cassino. Um filme do Al Pacino chamado ‘Cassino’ é bom e remete muito a esse universo. As décadas de 1940 e de 1930 são muito ricas no vocabulário correto, no gestual muito mais classudo, mais rebuscado, então a minha visita a esses anos foram as minhas inspirações.

E o bigode é uma grande homenagem ao meu falecido pai, que tinha exatamente esse bigode. Eu me olho no espelho hoje e vejo que estou a cara dele. Mas é bom deixar claro que meu pai não era nenhum golpista, era muito trabalhador. Mas no visual, estou bem parecido com ele.

Enrico (Marcos Veras) em Além da Ilusão

Comente sobre a relação de Enrico com dona Santa

A relação do Enrico com a dona Santa é uma relação de interesses. Ele tem interesse nela pelo dinheiro que ela tem, pelas coisas que ela pode proporcionar: dinheiro, noites, luxos, roupas, joias; e ela tem interesse nele porque ele proporciona carinho amor, sexo, companhia… é uma relação explícita de interesse.

Ela é uma mulher muito experiente, então também o domina, manda nele, e ele usa e abusa do charme e do romance para conseguir o que quer com ela.

É uma dupla que se merece – cada um com os seus interesses e características. Mas é uma relação bonita de um homem mais novo com uma mulher mais velha. Há um sentimento verdadeiro ali, eles gostam da companhia um do outro.

E pode gerar também uma discussão bacana dessa diferença de idades e desses relacionamentos da época em que as mulheres eram colocadas em julgamento por qualquer atitude que fugisse do senso comum.

Qualquer mulher que tivesse um comportamento que fugisse do padrão era julgada. Então acho que é uma novela que também vai trazer essa força feminina através do romance, através de uma mulher mais velha, a dona Santa, que ama, ainda faz sexo, beija na boca. Eu acho isso muito interessante, porque a idade não importa.

Enrico (Marcos Veras) e Santa (Arlete Salles) em Além da Ilusão

E a relação de Enrico com Emília?

A relação de Enrico com Emília também é de interesses. Ele, porque viu aquela mulher deslumbrante, mais jovem que a dona Santa, mas uma mulher linda, potente, que canta lindamente, e se encanta por ela, porém, acha que ela é rica.

É uma paixão, uma vontade de tê-la por perto, de beijar na boca, mas porque [acha que] ela é rica. Ela, porque vê nele um empresário, um homem que tem influência e que pode realizar o sonho dela de ser cantora, de se apresentar na rádio. Porém, nenhum dos dois tem onde cair morto.

Ao contrário de dona Santa, que é uma mulher rica, tem posses, a Emília não tem e o Enrico acha que ela tem. Ali é uma relação de gato e rato. Os dois têm características bem parecidas, porque ambos sonham e usam da malícia e do interesse para tentarem conquistar as suas coisas.

É claro que o Enrico, se comparado à Emília, tem muito mais malícia, trato e habilidade com o golpe. A Emília também tem interesses sexuais nele, assim como interesses para realizar esse sonho.

Emília (Gaby Amarantos) em Além da Ilusão

Como está sendo contracenar com Arlete Salles e Gaby Amarantos?

Confesso que sou muito abençoado nas minhas parcerias de elenco, e nessa novela não é diferente. Eu já tinha feito uma novela com a Arlete Salles, em 2015, ‘Babilônia’, minha primeira novela na Globo. A gente chegou a contracenar, mas não como amantes, namorados.

É uma atriz espetacular, extremamente generosa, disponível, experiente para caramba, muito sábia, muito cômica, porque é também uma comediante de mão cheia, não só uma atriz. Então, eu fiquei muito feliz com a nossa parceria. Fizemos cenas ótimas, gravando de primeira, texto na ponta da língua, uma troca realmente muito especial que eu vou guardar para a vida.

Santa (Arlete Salles) em Além da Ilusão (João Miguel Júnior/Globo)

E a Gaby Amarantos é uma potência – como mulher, cantora, artista. Ela é uma mulher muito curiosa, talentosa, e vem se divertindo muito nessa primeira experiência dela em uma novela. Ela já tinha feito trabalho como atriz, mas acredito que seja a primeira em novela, e a nossa troca foi muito imediata, rápida, desde a preparação até a realização das cenas.

Temos cenas mais densas e outras divertidas, e em ambas a gente se diverte muito. Tem sido muito gostoso passar essa experiência com ela porque eu já a conhecia, mas é a primeira vez que trabalhamos juntos. Eu só tenho a agradecer por essas duas lindas parcerias.

Emília (Gaby Amarantos) em Além da Ilusão (Reprodução/Globo)

Como foi o convite para atuar em ‘Além da Ilusão’?

‘Além da Ilusão’ veio no convite do Luiz Henrique Rios, meu diretor também em ‘Pega-Pega’ (2017/2018), que é um cara com quem me dei muito bem trabalhando. Vivemos uma experiência linda ali.

Ele me fez esse convite para viver o Enrico junto com o Fábio Zambroni, que também é um parceiro de longa data, produtor de elenco incrível e amigo, então foi um convite muito especial. O convite veio durante a pandemia.

Receber um convite para voltar ao trabalho em um período que a gente ficou muito em casa, um período muito tenso, foi muito importante, e eu fiquei muito feliz. Estou feliz com o resultado que tenho visto da novela.

Leia outros textos desta colunista.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Posting....