Programa de culinária no Brasil? Só para quem tem estômago forte

A comida parece ser o que menos importa

Publicado há 8 dias
Por Christiano Blota
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Eu penso em escrever esse tipo de artigo faz tempo, mas é difícil concluir porque me sinto enjoado. Vamos ver se hoje eu consigo. Por que raios as televisões resolveram dar aula de culinária? Todas as televisões. É um negócio infernal.

Uma coisa é você falar de comida, para matar a fome da população. Outra é você ser o guardião das galáxias da comida brasileira. E olha que nem criatividade os caras têm. Eles copiam fórmulas estrangeiras e antigas. Fórmulas desgastadas no exterior.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Programa de culinária virou “gincana”. Em uma época não muito distante as pessoas viam programas de cozinha para fazer um bom almoço. Aquele jantar para a família, amigos. Sabe a visita que você recebe e faz uma comidinha? A pessoa fica feliz porque você cozinhou em nome da amizade?

Sim. Você faz um franguinho com arroz, salada, uma sobremesa cremosa, um café. Não vou nem falar da bebida. Era esse o objetivo. Agora parece que, para cozinhar, você precisa ser extraterrestre.

Seu vizinho precisa ter curso de culinária na França ou no raio que o parta. Não vem com papo de que o objetivo é formar profissional de cozinha de todos os níveis. Não é assim que a coisa funciona.

Quem vê TV acha que todos precisam fazer a melhor comida do mundo. E os jurados? Olha, eu garanto para vocês que eu já frequentei vários restaurantes, com pessoas renomadas. Um dia comi um pato cozido, feito por uma fera da gastronomia, e… estava sem sal.

Pensei no “Pernil do Bigode”, em frente ao estádio de futebol, que tinha mais tempero. Eu era repórter, e antes do jogo precisava me alimentar, porque as emissoras não estão nem aí se você come. Elas querem resultados. Então, eu apreciava um pernil assado, com cebola, no pão francês, um refrigerante e a conta estava encerrada.

Agora eu preciso ver gente arrogante dando lição de moral em quem necessita de um lugar ao sol? E quando eu vejo um chef com cara de sabichão? Ainda mais quando comi no restaurante dele? É fácil fazer caras e bocas quando você está no camarote, né?

Outro dia eu vi um chef falando que a sobremesa do coitado estava com muito açúcar. A pessoa foi eliminada e explicou o motivo. Eu quase chorei. Disse que a regra era fazer sobremesa com um ovo. Um ovo? A única coisa que eu fiz com isso foi jogar em cima do feijão, depois de frito.

E o jurado olha com cara de terror, com pose de superior. Eu tenho vontade de falar: “Filho. Presta atenção. Você vai fazer uma comida na minha casa. Se não me agradar, eu chuto o seu traseiro”.

Eu conheço o seu restaurante e sei quem te contratou. Quando você vai na casa do dono da emissora já leva comida pronta, para não errar. Agora fica fazendo cena?

E vai humilhar quem sonha em ter restaurante? Vai rebaixar quem sonha em ter um dinheiro digno com preço justo? É nisso que eu penso. Conheço muitos restaurantes mundo afora. Garanto que os grandes chefs, em sua maioria, não são arrogantes. Eu aprecio a comida e ouço um “obrigado” de volta – tem para todos os preços.

Sabe quando você come na casa do papai, da mamãe, da vovó, do vovô, da tia, do tio, e pergunta o segredo? A resposta quase sempre é: “Amor”. Como eu vou me alimentar de algo que foi feito com angustia? Pois é isso que a maioria dos programas de culinária ensina. Essa a mensagem que eles passam.

A regra é: faça a melhor comida, em um tempo curto, com pouca opção e, se você falhar, leva pau. Que isso? Pergunta se ele faz isso em casa? No máximo um macarrão instantâneo. Não é só figura masculina. Tem mulher com cara de anjo. Se você não agradar (sabe lá por que motivo), vai para o inferno assar carne de segunda.

Olha: quer abrir um restaurante e trabalhar em cozinha? Não vá a programa de culinária. Escolha o ponto, trabalhe, faça sua comida com amor, pense na propaganda boca a boca e a freguesia aumenta – e não se esqueça de rezar.

Não pense em passar pelo julgamento de quem já é amargo e não sabe o que é doce. Não pense em agradar uma pessoa que não quer concorrência ou precisa ser jurado em nome da autopropaganda.

Seja feliz, siga sua intuição e assista o programa que passa a seguinte mensagem: “comida, amor, paciência e fraternidade”. Para que você descubra que o segredo da vida são os amigos, e a comida é apenas um detalhe.

*As informações e opiniões expressas nesse texto são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais