Mais do que você gosta.
Assine o Star+
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Superprodução rural

Quantos vilões terá a novela Pantanal?

Releitura do clássico de Benedito Ruy Barbosa estreará na Glob em 28 de março

Publicado em 23/02/2022
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

O Brasil está próximo de redescobrir Pantanal pela releitura da obra de Benedito Ruy Barbosa produzida pela Globo e agendada para estrear no dia 28 de março. Clássico da Rede Manchete na década de 90, a novela revolucionou a maneira de contar uma história rural ao apresentar belezas naturais como mote para o desenvolvimento de suas tramas.

Na memória do público, grandes personagens nunca foram esquecidos. De Juma Marruá ao Velho do Rio, as histórias contadas em Pantanal pararam o Brasil e fizeram o público imergir e vibrar nos 216 capítulos levados ao ar.

Continua depois da publicidade
Não foi possível carregar anúncio

A produção, por sua vez, tem uma peculiaridade única que foge um pouco do habitual no que diz respeito ao gênero telenovela – ela praticamente não possui vilões. Mas o que explica tanto sucesso para uma novela que não tem vilões?

Pantanal cria atmosfera lúdica em torno de personagens essencialmente simples e humanistas. Um peão, por exemplo, pode ser considerado (ou não) vilão por marcar gado com ferro quente. Entende?

Deste universo surge o fazendeiro Tenório, antes vivido por Antônio Petrin e agora nas mãos de Murilo Benício. O personagem é o algoz de Alcides (Juliano Cazarré), além de ser extremamente mau-caráter e vingativo – ele está na mira de forasteiros que buscam vingança.

Talvez seja Tenório o único personagem de Pantanal, que pode-se dizer, possui reais traços de um grande vilão, embora na história tenha quem mate, mas não são vilões, são bandidos pontuais que não atuam na novela toda.

Tenório (Murilo Benício) de Pantanal (Divulgação)

Mais de Tenório em Pantanal

Tenório chegará no Pantanal com um passado que preferirá esconder. Marido de Maria Bruaca (Isabel Teixeira) e pai de Guta (Julia Dalavia), Tenório é um sujeito prático, frio e extremamente racional.

Perspicaz, logo perceberá que a vida é um jogo de cartas marcadas. Para ele, não há justiça, não há mérito, não há nada. Lição que aprenderá a duras penas. Muito antes de começar a ganhar, Tenório aprenderá a perder, até se tornar um verdadeiro mestre no jogo da vida.

Para a família, é um homem moralista, retrógrado, conservador e preconceituoso. Por isso, a surpresa quando Guta descobrir que o pai tem outra família em São Paulo. É assim que Tenório será apresentado ao espectador. Embora os traços de vilania, o personagem se distancia do vilão propriamente dito como conhecemos pelos melodramas.

Mais de Pantanal

O remake de Pantanal é escrito por Bruno Luperi e tem direção artística de Rogério Gomes, direção de Walter Carvalho, Davi Alves, Beta Richard e Noa Bressane. A produção é de Luciana Monteiro e Andrea Kelly, e a direção de gênero é de José Luiz Villamarim.

SIGA ESTE COLUNISTA NAS REDES SOCIAIS: INSTAGRAM E TWITTER

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Posting....