Para servir Bolsonaro, Ratinho fere o jornalismo do SBT

Com opiniões disfarçadas de perguntas, apresentador descredibilizou profissionais

Publicado em 2/8/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A entrevista com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) levada ao ar na noite da última sexta-feira (31), no Programa do Ratinho, também faz refletir o quanto o apresentador Carlos Massa com suas opiniões disfarçadas de perguntas e completamente descabidas da proposta do encontro, tocou em pontos cruciais que ferem a profissão jornalista e que descredibiliza todo o departamento da própria emissora que ele trabalha há mais de 20 anos.

Dos maiores equívocos da entrevista, Ratinho tratou como achismo da imprensa informações sobre o atraso na compra da vacina para o Brasil, esquecendo totalmente que, diferente dele, jornalista não serve nenhuma causa, a não ser a causa de informar. O comentário proferido foi bem tendencioso e irresponsável.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Certamente, qualquer repórter da casa que fosse escalado em seu lugar, faria uma entrevista muito mais imparcial, direta e útil. Cabe aqui esclarecer, que em recente depoimento à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid em maio, o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, confirmou que as declarações do presidente Jair Bolsonaro resultaram na paralisação por três meses das negociações para a compra da vacina CoronaVac.   

Segundo Covas, se não tivesse ocorrido essa interrupção no processo, teria sido possível entregar 100 milhões de doses do imunizante desenvolvido em parceria com o laboratório chinês Sinovac até maio deste ano.   

Em outra, Ratinho desdenhou de jornalistas ao dizer que nenhum profissional faria ao presidente uma pergunta sobre Cuba. A pauta em questão era o saldo devedor do país, incluindo, Venezuela e alguns países da África com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Um novo comentário bem subjetivo, injurioso de muita má fé, ao qual Ratinho, do alto de sua prepotência, deveria repensar. Já a entrevista, claramente feita por causa de interesses pessoais e coleguismo, foi mais uma pura panfletagem para um governo cambaleante e cheio de falhas graves.

Fico imaginando com que olhos Ratinho vê o jornalismo do SBT e vice-versa. Jornalismo que, por sinal, em uma recente pesquisa encomendada pelo Instituto Reuters, ocupou o topo do ranking e foi tido por 67% dos entrevistados como “confiável”.

LEIA A ANÁLISE DA ENTREVISTA DE JAIR BOLSONARO PARA RATINHO

* As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade do seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio