Compre iPhone SE na Apple a partir de R$ 3.779,10 à vista ou em até 12 vezes. Frete grátis para todo o Brasil
Saiba mais
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Em alta

No streaming, SBT sem conservadorismo faz muito mais sucesso

Tramas com temática adulta quebram a predominância infantil no SBT Vídeos

Publicado em 20/12/2021
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

A inocência, doçura e a cantoria sem fim das produções infanto-juvenis do SBT são um sucesso como cartazes da Netflix, com destaque para Carinha de Anjo, atualmente em reprise na faixa nobre da emissora. Uma realidade que até bem pouco tempo também era observada no SBT Vídeos, antes da implantação do projeto de resgate das obras antigas do acervo dramatúrgico da emissora.

Mas agora, mesmo com um vasto público cativo, as intermináveis e repetitivas histórias protagonizadas por crianças estão ‘perdendo espaço’ para produções clássicas que tanto fizeram sucesso no inicio do século. Amor e Ódio (2002), Esmeralda (2004), Amigas e Rivais (2007) e Amor e Revolução (2011) quebraram a predominância infantil na plataforma.

Continua depois da publicidade
Não foi possível carregar anúncio

No ranking dos produtos mais consumidos por hora, essas produções se alternam enquanto Chiquititas, Carrossel e Cúmplices de Um Resgate somem de vista. A chegada das tramas adultas, além de favorecer a consolidação deste nicho de público, tem provado que o espectador da emissora busca por alternativas ao gênero lançado por Íris Abravanel.

A ideia da TV ZYN, um canal que oferece dezenas de conteúdos exclusivos, também contribui para este balanço. Enquanto as crianças se concentram em busca de novidades, bastidores e curiosidades dos artistas mirins na aba, maratonar novelas infantis exploradas exaustivamente na programação do SBT já não é mais um prazer.

Por outro lado, tramas nada convencionais para os padrões do SBT, e que pode-se dizer: foram ponto fora da curva, como é o caso de Amor e Revolução e até mesmo Amigas e Rivais, duas histórias com temáticas fortes e nada ‘família’, ganham o seu valor. Seria este um sinal que o público da emissora também quer ver atrações menos lúdicas e mais próxima da realidade?

SIGA ESTE COLUNISTA NAS REDES SOCIAIS: INSTAGRAM E TWITTER

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Posting....