Mariana Godoy e Celso Freitas testam positivo para Covid-19 e acendem alerta vermelho na Record TV

Emissora afastou aproximadamente 80 funcionários nas últimas horas

Publicado em 05/01/2022 17:00
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Os interiores da Record TV foram tomados por casos de funcionários infectados pela Covid-19 e outros com sintomas gripais. Até o momento, segundo apuração da coluna, são aproximadamente 80 pessoas afastadas. O jornalismo, como informado por aqui, foi o mais afetado. Agora, a informação que chega é sobre Mariana Godoy e Celso Freitas – ambos testaram positivo para covid.

A âncora do Fala Brasil foi afastada na segunda-feira (3) após apresentar uma dor na garganta e seguir a rotina de exames da emissora. Com isso, Camila Busnello foi quem a substituiu no telejornal. Em publicação no Instagram, sem revelar o diagnóstico, tranquilizou seu seguidores.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A pessoa não pode nem ficar tranquila, em casa, né? Uma quarentenazinha básica, sem maquiagem, só lendo uns livros, vendo umas séries, que já fica todo mundo preocupado [risos]. Então passando só para dizer que estou ótima. Muito bem mesmo! Meu único sintoma é uma voz meio diferente, anasalada. Foi a única coisa que eu tive, uma dorzinha de garganta. Tá bom?“, explicou ela.

Celso Freitas, de 51 anos, foi afastado do Jornal da Record na quarta-feira e substituído por Luiz Fará Monteiro. Em contato, a Record TV não se manifestou sobre o estado de saúde do âncora. Cabe ressaltar que Fabíola Reipert e Renato Lombardi, do Balanço Geral, também estão afastados do trabalho desde que testaram positivo para a doença.

Emissora passa por surto de Covid-19 em vários setores

Na tarde desta quarta, a coluna foi informada que a Record TV está enfrentando uma agravante nos casos de pessoas infectadas pela Covid-19 e sintomas gripais. Desde então, a equipe médica está passando nos setores para reorientar as medidas cautelares.

Em dezembro a emissora voltou a adotar o relógio de ponto digital, que durante o auge da pandemia era operado via crachá. Segundo algumas fontes ouvidas pela coluna, essa mudança somada ao fato de muitos funcionários ignorarem alguns protocolos de prevenção, bem como o uso de álcool em gel disponibilizado ao lado de um dispenser do relógio de ponto, colaborou para a contaminação generalizada.

SIGA ESTE COLUNISTA NAS REDES SOCIAIS: INSTAGRAM E TWITTER

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio