Radical Chic, aposta da Globo para o público jovem, chegava ao fim há 28 anos

O programa era apresentado por Maria Paula e trazia Andréa Beltrão em esquetes

Publicado em 19/12/2021 15:04
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Na década de 1990, uma busca incessante da Globo era conquistar o público jovem. A emissora mirava seus esforços para conceber uma atração capaz de dialogar com adolescentes e, para isso, resolver apostar em Radical Chic, personagem de sucesso criada pelo cartunista Miguel Paiva.

Surgia, então, o game show Radical Chic, que era exibido de segunda a sexta, na faixa das 17 horas. O programa tinha a apresentação de Maria Paula, oriunda da extinta MTV Brasil, e trazia Andréa Beltrão vivendo Radical Chic, protagonizando esquetes bem-humoradas ao longo da atração.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O programa era uma disputa entre jovens, divididos nos times masculino e feminino. Na competição, os adolescentes tinham que responder perguntas relativas ao tema da semana, ilustrados pelos esquetes da personagem-título. Vários jogos e brincadeiras eram promovidos no palco, sob orientação de Maria Paula.

No palco, Maria Paula interagia com um garçom, inicialmente vivido por Ewerton de Castro e, depois, por Eduardo Martini. Já nos esquetes, Andréa Beltrão, encarnando Radical Chic, costumava dialogar com um garçom vivido por Otávio Augusto. Maria Paula interagia com Radical Chic entre uma prova e outra, quando a personagem telefonava para a apresentadora.

Segundo o Memória Globo, a ideia inicial era transformar a personagem Radical Chic num quadro do Fantástico. Mas José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o “todo-poderoso” Boni, gostou tanto da versão “carne e osso” da personagem de Miguel Paiva que optou por aproveitá-la num programa solo, voltado para adolescentes.

Ainda de acordo com o Memória Globo, Radical Chic sofreu com interferências do Departamento de Fiscalização da 1ª Vara de Menores do Rio de Janeiro, por conta da temática da atração, que costumava falar de sexo. Por conta disso, a partir de 7 de junho de 1992, o programa passou a contar apenas com a participação de estudantes maiores de idade.

Apesar de “modernoso”, o programa não atingiu os índices de audiência esperados pela Globo, e Radical Chic ficou menos de um ano no ar. O programa ficou no ar de 19 de abril a 17 de dezembro de 1993. Com o fim da atração, Maria Paula se tornou apresentadora do Casseta & Planeta, Urgente!, função que exerceu até o fim da atração, em 2010.

Sem Radical Chic, a Globo seguiu buscando um novo programa voltado ao público jovem e, no ano seguinte, voltou a contratar um ex-MTV. O canal arrematou o passe de Luiz Thunderbird, que comandou TV Zona nas tardes de sábado em 1994. Mas a atração foi um fracasso e ficou poucos meses no ar. A emissora só acertou no público-alvo em 1995, quando lançou a novelinha Malhação.

Andréa Beltrão como Radical Chic (Memória Globo)
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio