Mais do que você gosta.
Assine o Star+
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Análise

Que História É Essa, Porchat? traz variedade à linha de shows da Globo

Talk show alivia crise criativa pela qual passa o entretenimento da emissora

Publicado em 13/04/2022
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

A nova temporada de Que História É Essa, Porchat?, no ar às terças-feiras no GNT e às quartas-feiras na Globo, é uma boa novidade na TV, sobretudo no canal aberto. A linha de shows da emissora, que encontra sérias dificuldades em se renovar, ganha um programa diferente, que vai além dos realities e jornalísticos de sempre.

Apesar de já ter tido uma temporada exibida anteriormente na Globo, Que História É Essa, Porchat? chega agora com mais força no canal aberto. Isso porque a temporada que vai ao ar na emissora é a mesma que o GNT exibe, com apenas uma semana de hiato entre os episódios. Ou seja, o programa que o GNT exibe nesta terça vai ao ar na Globo na quarta-feira da semana seguinte.

Continua depois da publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Com isso, o canal leva o projeto Uma Só Globo a um outro patamar. Mais do que nunca, os canais do Grupo Globo estão em grande sintonia, otimizando suas produções e, com isso, aumentando a oferta de conteúdo. Para o canal aberto, que tem dificuldades em renovar sua linha de programas de entretenimento, trata-se de uma grande novidade.

Crise criativa

Apesar de ainda estar à frente da concorrência, a Globo viu suas fragilidades expostas nos últimos anos. A emissora perdeu nomes importantes de seu cast e, com a dramaturgia comprometida por conta da pandemia, se viu com dificuldades em produzir. Assim, se tornou ainda mais refém dos formatos prontos e dos mesmos apresentadores de sempre.

Neste contexto, a chegada do Que História É Essa, Porchat? como um programa fixo de grade veio para agregar. Com ele, a emissora faz uso de um formato original, ao mesmo tempo em que dá espaço a Fábio Porchat, um nome forte da comunicação. Ou seja, a Globo tem em sua linha de shows um apresentador de renome, com boa aceitação no mercado publicitário, e que ainda trouxe um formato original.

Sob este ponto de vista, o intercâmbio de produções entre os canais Globo se mostra uma ótima maneira de buscar fugir da pasmaceira e da mesmice. Multishow e GNT devem continuar servindo como laboratório e contribuindo para que a grade da Globo aberta siga oferecendo novidades ao seu público.

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Confira outros conteúdos da coluna e do colunista ou entre em contato

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Posting....