Nunca reprisada, Amor e Ódio estreava há 20 anos no SBT

Suzy Rêgo e Daniel Boaventura estrelaram a produção

Publicado em 12/12/2021 15:00
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Entre 2001 e 2007, o SBT produziu várias adaptações de textos mexicanos. Um contrato com a Televisa abastecia a emissora de folhetins dublados, que eram exibidos à tarde e no início da noite, e de roteiros de tramas do México, que passaram a ser produzidos nos estúdios da emissora, com elenco brasileiro.

Pícara Sonhadora, protagonizada por Bianca Rinaldi, abriu esta nova fase da dramaturgia do SBT em agosto de 2001. Na sequência, veio Amor e Ódio, estrelada por Suzy Rêgo, que estreou em 10 de dezembro daquele mesmo ano. De todas as adaptações de novelas mexicanas produzidas pela emissora de Silvio Santos entre 2001 e 2007, Amor e Ódio foi uma das únicas que nunca foi reprisada, embora tenha tido bons índices de audiência (Seus Olhos, de 2004, também nunca teve repeteco).

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A novela conta a história de Regina (Suzy Rêgo), uma mulher de pulso firme que se fecha para o amor após ter sido abandonada no altar pelo noivo, o golpista Maurício (Edson Fieschi). Por conta do ocorrido, ela se muda para uma fazenda e passa a se dedicar ao trabalho. Mas ali ela conhece José Maria (Daniel Boaventura), que se apaixona por ela. Porém, ela resiste ao novo romance.

Amor e Ódio é uma versão da telenovela mexicana La Dueña, escrita por Inés Rodena. A adaptação do SBT é assinada por Henrique Zambelli, com supervisão de texto de Ecila Pedroso. Inicialmente, a emissora pensou em chamar a trama de A Dona e, depois, chegou a considerar manter o título original (sim, Silvio Santos pensou em manter La Dueña), mas Amor e Ódio acabou sendo o nome escolhido.

No início da produção, Patrícia de Sabrit foi anunciada como a protagonista Regina, chegando a gravar algumas cenas. Entretanto, logo ela foi substituída por Suzy Rêgo, sob a alegação de que seria “jovem demais” para viver a heroína. Porém, numa recente entrevista, a atriz declarou que o fato de ela ter recusado o convite para a primeira Casa dos Artistas pode ter pesado na decisão de afastá-la do enredo, como contou o colunista Cadu Safner recentemente.

“Na época me disseram isso [afastada da novela por conta da idade]. Talvez tinha algo do gênero, como não topei fazer Casa dos Artistas, não podia fazer Amor e Ódio. Faz parte”, disse a atriz a Marcos Michalak.

La Dueña teve várias adaptações na América Latina. Uma delas, realizada pela Televisa em 1996, tinha produção de Florinda Meza (a dona Florinda de Chaves), e era protagonizada por Angélica Rivera, Francisco Gattorno e Cynthia Klitbo. Em 2010, o México produziu Soy Tu Dueña, com Lucero, Fernando Colunga e Gabriela Spanic. Esta versão foi exibida pelo SBT com o nome A Dona.

Apesar de Amor e Ódio nunca ter sido reprisada pelo SBT, a novela foi disponibilizada no SBT Vídeos, plataforma de streaming da emissora.

Leia outros textos do colunista AQUI

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio