Mais do que você gosta.
Assine o Star+
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Crítica

Mesmo fora de No Limite, André Marques ainda é curinga da Globo

O apresentador deve comandar três programas na emissora

Publicado em 06/01/2022
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Assim como Ana Furtado sempre é apontada como a substituta preferida da Globo, Tiago Leifert era visto como o curinga, já que comandou vários programas (alguns ao mesmo tempo) em sua trajetória no canal. Pois André Marques também pode ser incluído neste “hall” de pau pra toda obra da Globo, já que sua presença é constante na telinha. Mesmo fora de No Limite, onde teve uma criticada atuação, o apresentador seguirá com muito tempo de tela.

Apresentador com anos de casa, já tendo passado por inúmeros projetos, André Marques decepcionou em No Limite. Com uma aparente falta de vontade diante das câmeras, sem energia e nem pulso diante das provas, o apresentador foi alvo de severas críticas. Com isso, ele não volta na nova temporada, prevista para abril. O atleta e ex-BBB Fernando Fernandes acaba de ser anunciado como seu sucessor.

Continua depois da publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Campeão de canoagem e com experiência como apresentador de televisão, Fernando parece ter condições de manter o pique diante dos desafios de No Limite. Além disso, é um rosto novo, algo que a Globo está precisando depois da debandada de artistas dos últimos meses. É uma renovação necessária, e, nas chamadas, Fernando passou a melhor das impressões.

Enquanto isso, André Marques terá novas chances de mostrar a que veio, mas desta vez no conforto dos Estúdios Globo, onde parece ficar mais à vontade. Ele não está em No Limite, mas estará novamente no The Voice+, que já comandou no ano passado. E também deve seguir à frente do The Voice Brasil, assumindo definitivamente o posto que era de Tiago Leifert. De quebra, entre uma atração e outra, André deve seguir no elenco do É de Casa.

André Marques surgiu na Globo em 1995, quando interpretou o personagem Mocotó na primeira temporada de Malhação. O sucesso do tipo foi tanto que Mocotó cresceu em cena, e foi de aluno a dono da academia, atravessando várias temporadas. Foi o personagem quem fez a transição da “fase academia” para a “fase Múltipla Escolha”, já que Mocotó vendeu a antiga Malhação para o dono do Múltipla Escolha e abriu um novo negócio em frente ao colégio, o Guacamole (que depois se tornaria o Gigabyte Café).

Ao sair de Malhação, André teve o apoio da direção da Globo para se tornar apresentador. Começou como repórter do Vídeo Show, em 2000, e assumiu o comando do programa em 2002, quando Miguel Falabella deixou a atração. Após anos no vespertino, André também passou pelo Superstar, até chegar ao É de Casa.

André Marques não é um apresentador de presença marcante. Por outro lado, costuma fazer bem o que se propõe (menos no No Limite, claro!). Justamente por isso, funciona bem comandando formatos, pois sua performance protocolar não compromete o andamento das dinâmicas. E é esta qualidade que o torna um bom curinga para a Globo, garantindo sua permanência no vídeo por muitos anos mais.

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Leia outros textos do colunista AQUI

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Posting....