Compre iPhone SE na Apple a partir de R$ 3.779,10 à vista ou em até 12 vezes. Frete grátis para todo o Brasil
Saiba mais
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Crítica

Faustão na Band transforma segunda-feira em domingo e faz estreia irregular

O novo programa de Fausto Silva estreou sem ritmo, mas mostrou potencial

Publicado em 17/01/2022
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

O Viradão do Faustão, exibido pela Band no início de 2022, já dava a pista: Faustão na Band é, na verdade, o velho Domingão do Faustão exibido todas as noites. Na estreia da nova atração de Fausto Silva nesta segunda-feira (17), a audiência reencontrou um espaço habitual, com o apresentador repetindo tudo o que o consagrou aos domingos.

Cenografia, iluminação, grafismos, bailarinas, posicionamento da plateia… Tudo em Faustão na Band remete ao Domingão do Faustão. Com isso, nada mais natural que a nova aposta da emissora para suas noites seja aberta com as tradicionais videocassetadas. Faustão avisou que seu programa diário sempre será aberto com os vídeos engraçados que costumavam encerrar seu tradicional dominical.

Continua depois da publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Em seguida, Faustão recebeu Zeca Pagodinho no palco. O sambista ocupou praticamente uma hora inteira da atração, o que a tornou um tanto maçante. Até a plateia parecia desanimada diante da interminável apresentação do artista.

O astral subiu com a segunda atração da noite, quando Faustão recebeu Seu Jorge e Alexandre Pires. Mais uma vez, a receita do bate-papo com música dominou o palco do programa (também longa demais). Foi uma aposta ousada de Faustão em investir num programa 100% musical, num momento em que musicais parecem fora de moda na televisão. Quem esperava a Pizzaria do Faustão, quadro anunciado para as noites de segunda-feira do Faustão na Band, ficou a ver navios.

Apesar da falta de ritmo, Faustão na Band fez, no geral, uma boa estreia. O apresentador estava à vontade e o programa pareceu redondo. O único porém é a opção por coapresentadores, com as presenças de Anne Lottermann e João Guilherme. Os “partners” de Faustão ficaram todo o tempo ao lado do apresentador, mas pouco contribuíram com o andamento da atração. E João Guilherme, filho do animador, está claramente verde para a função.

O grande trunfo de Faustão na Band é chacoalhar as noites da emissora. Com a chegada de Faustão, saem de cena a fé eletrônica e os enlatados inexpressivos que ocupavam a faixa. A Band acerta ao servir como contra-programação, oferecendo um programa de auditório de variedades num horário dominado por novelas e telejornais.

A estreia deixou uma boa impressão. Mas é preciso ver se Faustão na Band terá fôlego para manter o pique todas as noites. Faustão chega à Band num momento em que os grandes artistas do Brasil já não têm mais contrato de exclusividade com a Globo. Sua rede de amizades com atores e músicos deve garantir bons convidados para a atração. Ainda assim, um programa diário sempre corre o risco de cair na repetição.

A aposta é válida. É bom notar que a Band acordou de um sono profundo e chega em 2022 com grandes apostas e vontade de produzir. A televisão brasileira ganha com toda esta gana.

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Leia outros textos do colunista AQUI

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Posting....