Marianna Armellini interpretará gêmeas na segunda temporada de Salve-se Quem Puder

Atriz comemora o retorno da novela das sete com duas personagens distintas

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Marianna Armellini ganhará mais uma personagem na segunda temporada de Salve-se Quem Puder que tem estreia prevista para o próximo dia 17 de maio. A personagem em questão será Marlene (Marianna Armellini), irmã gêmea de Verônica (Marianna Armellini) que perderá a sua função após a saída de Micaela (Sabrina Petraglia) da história de Daniel Ortiz. Já que Sabrina Petraglia engravidou durante a pandemia. 

Questionada se ficou frustrada com o destino de Verônica, Marianna é enfática. “Não senti nenhuma frustração, estamos sujeitos à esse tipo de mudanças quando fazemos uma obra aberta, como uma novela! Não é a primeira vez que a trama de um personagem meu é modificada por algum motivo e provavelmente não será a última! E fico feliz que tenha sido por algo tão lindo quanto um bebê de uma amiga”, pondera a atriz. A seguir, confira o papo com a interprete: 

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

ANDRÉ ROMANO – Quem é a Marianna Armellini?

MARIANNA ARMELLINI – Estou todos os dias atualizando essa resposta, conforme vou amadurecendo, me conhecendo e me aceitando mais. Basicamente, alguém que ama o que faz, que ama contar histórias, fazer as pessoas rirem e se emocionarem, que adora falar e escutar, que tem os melhores amigos do mundo e um restinho de fé na humanidade.

AR – Qual foi a maior lição que você tirou durante esse período pandêmico?

MA – Ainda estou tirando lições, foram muitos sentimentos, mas acho que a maior lição foi aprender cada vez mais a me escutar e me respeitar, entender quais são meus limites, não me obrigar a ser perfeita, não me culpar por não dar conta de tudo.

AR – Você sentiu algum receio em relação a esse período em que você ficou em quarentena?

MA – Claro, ainda sinto! Fora o medo de perder pessoas próximas, fora a dor de ver tantas vidas negligenciadas, também tem o receio de como o meio artístico vai sobreviver a isso tudo. Como e quando vamos voltar aos teatros, às praças, aos circos, como estaremos até lá, quem é esse público que vai voltar, se vai voltar, muitos questionamentos ainda estão em aberto.

AR – Você voltou a gravar as suas cenas nos Estúdios Globo. Sentiu algum tipo de insegurança em relação a composição da personagem? Já que a Verônica é uma personagem de composição...

MA – Senti sim. Foi muito tempo longe, claro que algumas coisas ‘já estão’ com a gente, mas houve esse ‘resfriamento’ do corpo, das relações com os outros personagens – e não pudemos encontrar ninguém antes de voltar a gravar, então ficou mais lento esse processo de ‘retomar’ Verônica. Mas acho que é como andar de bicicleta, a gente sente esse medo de não saber, mas logo tudo volta e saímos pedalando.

AR – Nesse segunda fase, você terá um novo desafio, já que interpretará Marlene, irmã gêmea de Verônica. Como você recebeu essa notícia?

MA – Eu amei saber que ia fazer as irmãs! Claro, uma grande responsabilidade, mas também uma grande oportunidade de exercitar meu ofício. Ter uma personagem cômica e uma vilã no mesmo projeto é algo lindo, espero atender às expectativas do autor, da direção, e especialmente do públicoE claro, poder dizer que tive meu momento ‘Ruth e Raquel’. Sem jamais achar que chegaria aos pés da deusa Gloria Pires.

AR – Quem é a Marlene?

MA – Estou descobrindo ainda! Ela é a irmã gêmea da Verônica, que chega para ajudar a madrinha Dulce (Marilu Bueno) com os hóspedes do México que ela vai receber. Marlene é muito religiosa, assim como a madrinha, mas esse seu jeito esconde um fogo interno que é difícil de controlar. Ela não tem nada a ver com o jeito vingativo e fechado da irmã.

AR – Marlene vai trazer você para o lado cômico. Já que Verônica era o inverso disso, né? 

MA – Exatamente, vou poder brincar com esses dois lados.

AR – A trama de Verônica foi modificada devido a gravidez de Sabrina Petraglia. Você sentiu algum tipo de frustração devido a isso? Já que Verônica será presa após tentar matar a filha de Hugo (Leopoldo Pacheco)…

MA – Não senti nenhuma frustração, estamos sujeitos à esse tipo de mudanças quando fazemos uma obra aberta, como uma novela! Não é a primeira vez que a trama de um personagem meu é modificada por algum motivo e provavelmente não será a última! E fico feliz que tenha sido por algo tão lindo quanto um bebê de uma amiga.

AR – Nas redes, as pessoas querem que Verônica se dê mal.. O final dela foi o que você imaginou?

MA – Mais ou menos, sim. Pelo menos nas novelas, os vilões têm que se dar mal…As pessoas querem que a justiça seja feita, nem que seja na ficção.

AR – Qual é o seu maior sonho?

MA – Continuar a viver do meu ofício, que nunca me faltem saúde, vontade e oportunidades para trabalhar e realizar.

AR – O que tira você do sério?

MA – A desigualdade social abissal do nosso país e a negligência dos nossos governantes.

AR – Se você pudesse deixar uma mensagem para a posteridade … Qual a mensagem você deixaria ?

MA – Nada é estanque, tudo muda o tempo todo, ninguém é imune a isso, nem o mais rico dos seres humanos, então estejam prontos e sejam empáticos.

AR – Qual é o mundo que você sonho para a humanidade?

Hoje em dia já acho uma utopia, mas seria um mundo verdadeiramente mais igualitário – isso inclui gêneros, sexualidades, raças, classes sociais. Um mundo abundante em oportunidades para todos, mas pra isso precisamos topar mudanças estruturais – e geralmente as pessoas querem resultados sem precisar mudar ou perder algo, perder privilégios, status, dinheiro, etc. Um mundo onde água, saúde, arte e educação não faltasse a nenhum ser humano.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio