Orgulho e Paixão: Julieta revela que era pobre

Gabriela Duarte como Julieta Bittencourt em Orgulho e Paixão
Publicidade

Em Orgulho e Paixão, na Globo, Julieta (Gabriela Duarte) está em um momento de revelações. Portanto, ela encontrou em Elisabeta (Nathalia Dill) a pessoa ideal para escutar tantas histórias de dor e angústia. Mas nem tudo será tão simples. A Rainha do Café vai contar tudo sobre o seu passado aos poucos. Desta vez, o público saberá a origem da fortuna dela. Confira.

“O que não é verdade, dona Julieta?”, perguntará Elisabeta depois que Julieta dizer que Rainha do Café é uma mentira. “Falemos com todas as letras: o que é a mentira? E pior, uma mentira contada pra me diminuir, me desvalorizar. Ao contrário das mentiras normais que são para se valorizar, se vangloriar! Mas a verdade é que a Rainha do Café era uma pobretona!”, revelará.

Veja também: Josephine revela por que se passou por morta, em Orgulho e Paixão, na Globo

Continua depois da publicidade

Na sequência, Elisabeta aparecerá com mais dúvidas: “Em que momento? Antes de casar?”. “Depois. Nunca fui uma viúva rica. Ao contrário do que todos pensam, a Rainha do Café nunca teve um rei à altura. Meu marido era um fracasso, um desastre! Um sórdido que só me deixou amargura e dívidas quando morreu em muitíssima boa hora!”, responderá.

“Sempre achei… Digo, todo mundo realmente sempre achou que a senhora era uma viúva afortunada…”, rebaterá. “Afortunada só se for por ele ter me deixado em paz quando se foi. Porque, além disso, meu marido só me deixou promissórias, empréstimos vultosos, agiotas até. Esse império todo que você vê hoje, estabelecido aqui e em São Paulo, eu construí sozinha, com minhas mãos pequenas!”.

“E por que deixou que acreditassem que um homem como ele teve esses méritos? Em detrimento de uma mulher como a senhora?”, questionará, então, a protagonista. “No início não seria bom para os negócios, ostentar que eu era uma mãe sozinha e falida. Depois, quando havia saído do buraco, ninguém jamais acreditaria que uma mera mulher pudesse ter conseguido tudo isso sozinha. Já pago um preço alto por ter supostamente ‘expandido’ o ‘império’ que Osório teria me deixado. Se alardeasse meus feitos por aí, no mínimo iam dizer que eu estava denegrindo a memória de um santo homem, que me deixou sobrenome e um filho herdeiro”, explicará a Rainha do Café.

“Camilo também não sabe de tudo que a senhora fez?”, perguntará. “Também para Camilo eu quis preservar o pai morto e nunca deixei que a memória de Osório fosse abalada. A dignidade e a fibra daquele… Valoroso chefe de família!”. “Então… parece que ao menos como pai seu marido fez um bom trabalho”, ponderará Elisabeta.  “Como, se todo o tempo passava na rua?”. “Mas se o seu casamento não foi feliz, ao menos a senhora e Camilo mantiveram-se unidos. Estão estremecidos agora, mas…”. “Não, Elisabeta. Não. Estamos a falar verdades. E a outra verdade é que… A verdade é que nunca fui boa mãe”, concluirá.

Ainda em Orgulho e Paixão: Ofélia comemora noivado de Elisabeta com Darcy

Ofélia (Vera Holtz) ficará extremamente feliz ao saber que Elisabeta (Nathalia Dill), sua filha, e Darcy (Thiago Lacerda) decidiram se casar. A notícia é uma surpresa para ela, já que ela não acreditava que a menina fosse se apaixonar tão logo. A protagonista sempre teve um espírito mais aventureiro. Agora, Ofélia estará tão feliz que esquecerá todas as diferenças com Darcy e demonstrará ansiedade com o casório.

Publicidade
© 2021 Observatório da TV | Powered by Grupo Observatório
Site parceiro UOL
Publicidade