Orgulho e Paixão: Josephine relembra passado com Brandão

Josephine (Christine Fernandes), de Orgulho e Paixão, da Globo
Publicidade

Em Orgulho e Paixão, na Globo, Josephine (Christine Fernandes) sempre se manteve muito discreta em relação ao seu passado. Mas, em uma conversa com Brandão (Malvino Salvador), ela revelará um pouco do que esconde. As razões que a levaram se passar por morta durante anos parece que são justificáveis. Confira.

“Não me ama mais?”, perguntará ela, depois de sentir certa rejeição dele. “Isso é loucura! Faz dez anos que você fugiu!”, explicará o coronel. “Foi o suficiente pra me esquecer?”, perguntará a loira. “Eu não a esqueci, eu… a enterrei! Tive que enterrar… Não havia escolha, havia?”, devolverá ele. “Não me trate como se fosse eu a culpada pela nossa separação. A culpa foi sua… ou depois de dez anos já não se lembra mais?”, rebaterá.

Veja também: Josephine revela por que se passou por morta, em Orgulho e Paixão, na Globo

Continua depois da publicidade

Neste momento, entrará uma lembrança com Brandão, dez anos mais jovem. De repente, alguém baterá na porta e ele correrá para abrir.  Josephine entrará nervosa, totalmente encharcada. “Pelo amor de Deus, me deixe entrar!”, clamará.  “Josephine, você está encharcada!!! Que foi que aconteceu?!”, questionará.

“Eu morri, Viktor! Estou morta, morta!!!”, afirmará. “O que você está dizendo? Ficou louca???”. “Não, meu querido, é verdade, eu morri… para o mundo! É a nossa chance: vamos fugir pra bem longe do meu casamento infernal… da sua vida regrada de Tenente… Dessa maldita cidade!”. “Josephine, não estou entendendo…”.

Neste momento, ela beijará ele, que corresponderá. “O que significa isso? Essas roupas molhadas, a história de que morreu…?”, perguntará Brandão. “Saí de barco com Tibúrcio. Ele insistiu, mesmo com essa névoa toda, a chance de temporal… Começamos uma de nossas brigas. No calor da discussão, me levantei, perdi o equilíbrio…”.

“Ele a empurrou?!!!”, questionará. “Não, isso não. Caí na água, foi um acidente. Mas com o peso do vestido molhado, comecei a afundar, não conseguia voltar ao barco. Já estávamos longe das margens… Então estendi a mão… E meu marido… ele olhou bem para mim não estendeu a mão de volta! Afastou-se com o barco! Me deixou pra morrer!”.

“Assassino! Eu mato esse desgraçado!!!”, reagirá Brandão. “Viktor, não! Você não está entendendo… Foi a melhor coisa que podia ter acontecido. Agora Tibúrcio acha que estou morta! Mesmo que o corpo não seja encontrado, não terá por que pensar diferente. Vamos aproveitar, fugir juntos! Hoje, agora!”, proporá.

“Isso é loucura… Seus filhos…”, ponderará o coronel. “Certamente vão preferir a mãe morta num acidente que assassinada pelo pai. Por que é isso que vai acontecer se eu ficar, Tibúrcio vai acabar me matando! Ou vou morrer de desespero…”. “Não posso deixar tudo pra trás! Sou tenente do Exército, isso é errado, é deserção!”, explicará.

“E daí?! Se Josephine está morta, por que não matamos também o Tenente Brandão, sempre tão certinho, ponderado, racional! Eu quero ir embora com esse homem que diz ser apaixonado por mim! Vamos!”, insistirá ela. “Você está em choque, não está pensando direito… Não podemos fazer isso. Vamos viver como? Como fugitivos a vida inteira?”, perguntará.

“Se não quer vir comigo, não posso fazer nada. Eu vou! E se algum dia me amou, nunca dirá a ninguém que eu estive aqui”, avisará Josephine. “Não faça isso… Não vá embora… Por favor, não me deixe. Eu te amo”, pedirá Brandão, emocionado. “Adeus, Viktor. Espero que seja feliz… E que se liberte de tantas regras e limites. Há um espírito aventureiro aí dentro, eu sei que há”, falará deixando Brandão aos prantos.

“Josephine! Não me deixe…! Não me deixe… Eu te amo, Josephine. Te amo…”. Neste momento, a lembrança de Brandão termina. “Esquecer? Impossível. Aquele dia deixou uma marca no meu peito que nunca, nunca vai desaparecer”, pontuará. “Não é maior que a marca que seus beijos, suas carícias, o calor do seu corpo imprimiu no meu”, dirá Josephine. “Você voltou pra me enlouquecer?! Só pode ser!”, concluirá o coronel.

Ainda em Orgulho e Paixão: Ofélia comemora noivado de Elisabeta com Darcy

Ofélia (Vera Holtz) ficará extremamente feliz ao saber que Elisabeta (Nathalia Dill), sua filha, e Darcy (Thiago Lacerda) decidiram se casar. A notícia é uma surpresa para ela, já que ela não acreditava que a menina fosse se apaixonar tão logo. A protagonista sempre teve um espírito mais aventureiro. Agora, Ofélia estará tão feliz que esquecerá todas as diferenças com Darcy e demonstrará ansiedade com o casório.

Publicidade
© 2021 Observatório da TV | Powered by Grupo Observatório
Site parceiro UOL
Publicidade