Compre iPhone SE na Apple a partir de R$ 3.779,10 à vista ou em até 12 vezes. Frete grátis para todo o Brasil
Saiba mais
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Fracasso total

A Usurpadora tem pior média geral da década no horário nobre do SBT

Sandra Echeverría e Andrés Palacios são os protagonistas

Publicado em 08/11/2021
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Estreada com a expectativa de reerguer a audiência do horário nobre do SBT, a nova versão de A Usurpadora foi um tiro que saiu completamente pela culatra no Ibope da emissora. O remake produzido em 2019 pela Televisa derrubou ainda mais os índices da faixa noturna de Silvio Santos, em baixa há tempos.

Ao longo de seus 23 capítulos – dois a menos que em sua edição original no México -, a obra estrelada por Sandra Echeverría e Andrés Palacios marcou média geral de 4,4 pontos. Trata-se nada menos do que o pior resultado atingido pelo SBT com uma dramaturgia diária exibida à noite em toda a década.

Continua depois da publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Até então, esse recorde negativo pertencia à novela brasileira Corações Feridos (2012), cuja sintonia média fora de 4,6. Até mesmo produtos assumidamente fracassados da grade, como a reprise das três temporadas de Rebelde (6 + 6,1 + 5) e a reapresentação mais recente de Chiquititas (6,7), tiveram resultados melhores.

Produzido sob o formato de série, o remake de A Usurpadora carrega ainda significativas diferenças em relação à trama original. Nesta versão, Paola Bracho (Gabriela Spanic) foi transformada em Paola Miranda (Sandra Echeverría), primeira-dama do México e esposa do presidente Carlos Bernal (Andrés Palacios).

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Posting....